Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Vinicius Stricker

    18 de Outubro de 2017 por Vinicius Stricker

    Na época do Draft de 2016, Ben Simmons e Brandon Ingram dividiam opiniões nos maiores portais de basquete da internet, mas em um quesito, a vantagem de Ingram era praticamente inquestionável: o futuro. Simmons chegava mais pronto para a NBA, com um porte físico semelhante ao de LeBron James (em suas devidas proporções), um jogo de arremesso reduzido e uma visão de jogo invejável.

    Brandon Ingram chegou como um diamante a ser lapidado. O garoto é talentoso, arremessa, infiltra, espaça a quadra e defende. Não possuía o mesmo impacto que imaginava-se que Simmons tivesse/tem (Simmons perdeu toda a temporada de calouro), mas ao pensar em longo prazo, a vantagem de Ingram aumenta.

    O garoto tem 20 anos, mais de 2,06 metros de altura e aproximadamente 221 centímetros de envergadura (Kevin Durant beira os 225 centímetros nesse quesito). Ingram tem tudo para se tornar uma máquina de pontos e um defensor excelente. O teto de evolução de Brandon Ingram é extremamente alto e muito, mas muito, muito mesmo, promissor.

    O maior problema de Ingram está intimamente ligado com sua maior vantagem: o futuro. O corpo do garoto não está pronto ainda para encarar a NBA do jeito que se espera que Ingram faça. Ingram mostrou certa dificuldade em ganhar massa muscular e ainda sofre muito com seu corpo na NBA. Além disso, precisa ganhar mais confiança nos arremessos e selecionar algumas jogadas de um jeito diferente.

    Caras como Ingram possuem um tempo de adaptação maior para que se possa extrair suas maiores qualidades. Ingram ainda é muito novo, ainda vai realizar adaptações e ajustes em seu estilo de jogo e no seu corpo.

    Talvez a diretoria tenha exagerado em algumas declarações, colocando um peso desnecessário em Ingram e fazendo com que a cobrança por parte da torcida seja, ou venha a ser, exagerada e fora de momento.

    Particularmente falando, eu vejo Brandon Ingram com capacidade para se tornar um grande nome do basquete. Ainda é muito cedo mesmo para cobrar algo do garoto. Todos sabiam que ele não chegaria pronto para render o máximo de si em suas primeiras temporadas. A evolução virá, cabe ao Lakers e ao jogador direcionar essa evolução e fazê-la da melhor e de preferência, mais rápida, forma.

    Ainda é cedo. Muito cedo. Enquanto Brandon Ingram segue buscando seu verdadeiro valor e estilo de jogo, devemos ter paciência e ponderar as dificuldades que ele enfrenta para maximizar seu basquete. Ingram vai encontrar sua melhor forma e o Lakers terá um excelente jogador, por muito tempo.

    Fala aí!