Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Felipe Valente Bettega

    18 de Outubro de 2017 por Felipe Valente Bettega

    Quando o Lakers enviou D’Angelo Russell e Timofey Mozgov ao Brooklyn Nets, recebendo Brook Lopez e a 27ª escolha no Draft 2017, todas as análises focaram na importância dessa troca para a folha salarial, abrindo espaço para novos contratos em 2018. Ninguém imaginou que essa escolha, no entanto, se tornaria um dos jogadores favoritos da torcida. Escolha essa que, por ironia do destino, pertencia originalmente ao nosso arquirrival Boston Celtics. Incluída em 2013, no pacote enviado ao Nets com Paul Pierce, Kevin Garnett, Jason Terry e uma escolha de segunda rodada no Draft 2017.

    Mas como um jogador escolhido depois de outros 26 pode ser tão bom? Pergunte a outros Alas como Jimmy Butler, Draymond Green e Paul Millsap. Selecionados respectivamente em 30º, 35º e 47º. Na visão de Magic Johnson, muitos times se arrependerão de ter esnobado seus talentos: 

    Eu vou lhe dizer, o roubo do Draft será Kyle Kuzma. O jovem pode fazer arremessos, também sabe trabalhar a bola e criar jogadas para ele mesmo ou para seus companheiros. Magic Johnson

    Oriundo da Universidade de Utah, onde jogou por 3 anos. Teve médias de 16.4 pontos, 9.3 rebotes e 2.4 assistências, em 29 jogos, na temporada 2016-17. Medindo 6’9” (2,06m) e 220 lbs (100Kg), ele é bem leve e tem um ótimo trabalho de pés. Sua agilidade permite que consiga sair na transição com vigor, inclusive conduzindo a bola. É excelente em achar os espaços livres, enquanto se move sem a bola nas mãos. Mesmo não sendo muito explosivo, tem a habilidade de finalizar as jogadas acima do aro com um arsenal de bandejas. Sua vontade e capacidade para passar a bola são intrigantes, mostrando grande visão de quadra para facilitar as jogadas.

    Reboteiro sólido em ambos os lados da quadra. Usa seu comprimento como um fator ao redor do aro e mostra bons instintos no garrafão defensivo. Mesmo não sendo o jogador mais imponente fisicamente, faz um ótimo trabalho em consistentemente achar o jogador ofensivo para fazer box out. E tem bom timing no seu salto. Mostra potencial para ser um efetivo defensor do pick and roll, que pode marcar o armador, quando necessário.

    Kuzma se adaptará muito bem na atual NBA, jogando como Stretch-4. Um papel que falta ao Lakers, visto que Julius Randle e Larry Nance Jr não conseguem acertar consistentemente a bola de 3 pontos. Durante a faculdade, o calouro já mostrava excelente mecânica nos seus arremessos O que não era traduzida em números. Foi durante a Summer League de Las Vegas que o jovem chamou a atenção de todos, com médias de 21.9 pontos, 6.4 rebotes, 2.7 assistências, FG% 51,4 e 3P% 48%. O Lakers sagrou-se campeão do torneio e Kuzma o MVP da Final contra o Portland Trail Blazers. Anotando 30 pontos e 10 rebotes. Acertando 6 bolas de 3 pontos em 10 tentativas.

    Mesmo com toda a competição por posições, será difícil para Luke Walton deixá-lo no banco por muito tempo: 

    É um dos calouros com mais confiança que eu já vi durante a minha carreira. Ele tem sede por aprender, está sempre perguntando aos técnicos e veteranos em que pode melhorar. Ele tem impressionado muito. Literalmente, está sempre pronto para jogar, não importa se é um 3x3, desafio de arremessos, atividades pré-treino... ele está sempre competindo. Se você tem um motor como esse, tornar-se um jogador de basquetebol consistente é muito mais fácil. Luke Walton

    Kyle Kuzma traz algo diferente ao Lakers. Uma mentalidade vencedora e confiante. A Preseason foi a continuação do seu show, onde ele anotou 15 ou mais pontos em 5 dos 6 jogos, sagrando-se cestinha com 104 pontos totais. Acima de jogadores como Lillard e Harden, que anotaram 96 e 94 respectivamente. Isso foi alcançado, basicamente, com apenas 1 jogo e meio de Lonzo Ball, que foi poupado. Vale ressaltar que a química apresentada entre os dois é incrível. Está claro que o estilo de jogo de um complementa o do outro.

    Após considerar as estatísticas, conhecer a personalidade e assistir aos jogos, não tem como não entrar na Kuzmania. As oportunidades ofensivas serão menores durante a Season. Mas com seu grande repertório para anotar pontos e suas versáteis habilidades, Kuzma fará seu impacto e será vital para o time. Eu acredito que ele seja um futuro All-Star e irá ajudar o Lakers a ser campeão novamente. Eu desafio qualquer torcedor do Lakers a vê-lo em quadra, sem gritar empolgado: KUUUUUUUUZ!


    Fala aí!