Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Guilherme Borges

    30 de Novembro de 2017 por Guilherme Borges

    Campanha: 2-1

    A semana foi bem curta, apenas três jogos, e depois um longo descanso. O que projetava-se como uma semana de 2 vitórias e uma derrota, acabou exatamente assim, contudo, com resultados um pouco diferentes dos esperados. Saca só o que aconteceu!

    Lakers 127 x 109 Nuggets

    Com certeza nem o mais otimista dos torcedores do Lakers esperavam uma vitória tão expressiva logo no começo da semana. Aliás, esse seria o jogo que o time “poderia” perder, já que os outros dois jogos, seriam contra times do fundo da tabela. Esse jogo entra para a lista das melhores atuações da temporada até aqui.

    Em primeiro lugar, eu quero dizer que, sim, o Nuggets teve seu técnico expulso, e junto com ele uma de suas estrelas, Jokic, e logo em seguida teve a outra estrela, Millsap, fora, por uma contusão. Contudo, tudo isso aconteceu na metade do segundo quarto, quando o Lakers já liderava a partida por 20 pontos (52x32). O Lakers ganharia a partida com Jokic e Millsap ainda em quadra? Impossível saber, mas o fato que vale lembrar é que, mesmo com eles na rotação, o time ainda estava fazendo a sua melhor performance até então.

    O jogo foi disputado apenas nos primeiros minutos. Depois, com 4 minutos para acabar o primeiro quarto, o time de LA passou a frente e não olhou mais para trás no placar. Vencemos no placar parcial de todos os quartos (o que é somente a segunda vez que acontece nessa temporada), e também tivemos um dos nossos melhores jogos em termos de arremesso em geral, com 53% de aproveitamento (53/100). Aliás, destaca-se que 70 dos nossos 129 pontos aconteceram dentro do garrafão, o que com certeza ajuda para um melhor aproveitamento nos arremessos.

    Com um jogo tão bom para nós, e com atuações tão dominantes, não gastarei muito do seu tempo com ele.

    Pontos Negativos: 

    Eu não gosto de ser “o chato” que acha pontos negativos mesmo nas coisas muito boas, mas é essa minha função aqui, então, lá vai: de novo, o Lakers teve um PÉSSIMO aproveitamento nos lances livres (56,3% em 9/16). Se o jogo tivesse sido um pouco mais difícil, novamente esses pontos poderiam nos ter custado a vitória.

    Pontos Positivos:

    Foram muitos. Mas o mais importante de todos, inclusive porque contrasta com o texto da última semana: O Lakers foi consistente o jogo todo. Preste atenção porque provavelmente essa foi a última vez, em um bom tempo, que você viu o time do Lakers entrando totalmente ligado no começo do jogo, dando 36 assistências, o dobro do adversário, e desperdiçando a bola “apenas” 15 vezes. Um time que foi igual de ponta a ponta do jogo, intenso defensivamente, com consistência e diversas opções ofensivas, distribuindo muito bem o placar (foram sete jogadores com pelo menos 10 pontos).

    Se como um time fomos bem, individualmente, melhores ainda. Lonzo fez seu segundo triplo duplo da carreira (11 pts, 16 rebotes e 11 assistências), Randle, ainda afobado, teve 24 pontos; Lopez com 21 pts (em 22 minutos de jogo), Kuzma com 17 pontos e aproveitamento de 63,3% etc etc etc. Como torcedor do Lakers, eu queria que a equipe repetisse eternamente essa performance. Como realista, relato: não foi o que aconteceu no restante da semana.

    Confira como foi este jogo

    Lakers 103 x 94 Bulls

    Esse é o típico jogo que as estatísticas enganam. Se você não viu a partida, e olhou somente o “box score”, você provavelmente teve a impressão errada do jogo. Na única partida dessa noite, tivemos um duelo intenso, com uma grande virada do time da casa.

    O jogo começou com o Lakers já mostrando sua nova mania: dormir no primeiro quarto. Aliás, não fosse o calouro Kyle Kuzma, a vantagem do primeiro tempo, que foi de “apenas” 14 pontos, teria sido muito maior. Dos 42 pontos feitos pelo Lakers nos dois primeiros quartos, 18 vieram da mão do primeiro anista. E aí está a primeira impressão errada: O menino não “decidiu” o jogo, o nome no final da partida foi outro. Ele foi o nome do começo do jogo, impedindo que o Bulls se distanciasse mais do placar. Vale destacar também o mérito do Bulls, que arremessou tudo que não tinha arremessado até então na temporada

    Até o terceiro quarto o resumo do jogo é: Bulls joga muito, e Lakers só não perde de mais porque Kuzma fez excelente primeiro tempo. Depois disso, a dinâmica mudou. Principalmente no final do terceiro quarto, com a rotação de Clarkson, Hart, KCP, Randle e Kuzma. Desses jogadores os mais importantes no final da partida foram KCP, Randle e Hart.

    Tudo começou com um Toco, com T maiúsculo, de Randle em Portis faltando 1:50 para acabar o terceiro quarto, que foi seguido de uma disputa de bola onde Hart conseguiu a vantagem, e a bola acabou, do outro lado da quadra, na mão de Julius, fazendo a cesta, e conseguindo ainda um lance livre de bonificação (convertido), diminuindo a vantagem que tinha sido de 19 para apenas 6 pontos. Ainda no final do terceiro quarto e no começo do último, tivemos mais uma sequência de boas jogadas protagonizadas por Randle, Hart e Clarkson. Foi a injeção que KCP precisava para acordar. O ala armador fez 11 dos seus 21 pontos no último quarto, e ainda fez duas jogadas importantíssimas no final da partida. Junto com ele, o time titular todo voltou melhor, e garantiu a vitória.

    Pontos Negativos: 

    O Lakers, mais uma vez, demorou a entrar na partida, e só se manteve no jogo principalmente graças aos esforços de Kyle Kuzma. Além disso, o time titular não teve uma excelente atuação nos primeiros três quartos do jogo, e grande parte disso foi em razão do péssimo aproveitamento e influência de dois jogadores: Lonzo e Lopez.

    Pontos Positivos:

    Lembra dos números que enganam? Pois é. Você pode dizer que o Lakers arremessou mal, mas, preste atenção. Lonzo e Lopez arremessaram 5/23 (21,73%), enquanto o restante do time 30/66 (45,45%). Mais estatísticas interessantes (e positivas): Kuzma fez 81,81% dos pontos no primeiro tempo (e 42,85% dos pontos do time), mantendo o time na briga, enquanto, no segundo tempo, fez “apenas” 6,6% dos pontos do time. Apesar disso, ele deu 4 de suas 5 assistências na segunda metade do jogo, permitindo o restante do time a tomar conta do segundo quarto em diante. O Lakers pegou 53 rebotes, mas não teve uma noite dominante no garrafão, já que o jogador com mais rebotes do time foi Lonzo, armador, (com 13), e o time marcou apenas 42,71% de seus pontos dentro do garrafão, o que não tem sido a regra. Além disso tudo, os jogadores titulares contribuíram mais no último quarto do que no restante do jogo todo, em quase todos os quesitos, o que é um ponto extremamente positivo para um time tão novo e que tem tido dificuldades para terminar os jogos.

    Confira os lances deste jogo

    Lakers 102 x 113 Kings

    Com certeza o jogo mais decepcionante da semana. Depois de ganhar do Nuggets, e virar contra o Bulls, parecia que o Lakers caminharia para uma semana perfeita em vitórias, com 3-0. Só ilusão.
    O jogo que era para ser marcado em um intenso duelo entre De’Aaron Fox e Lonzo Ball, como nos tempos de NCAA, ficou manchado com uma péssima atuação do Lakers. Se no jogo contra o Nuggets tudo deu muito certo, o que facilitou o meu trabalho, nesse caso, a facilidade veio em razão de ter dado tudo errado.

    De fato, o mais interessante da noite foi ver o Lonzo fazendo 11 pontos, 11 assistências e 7 rebotes, mantendo um aproveitamento de 7/13 dos arremessos de quadra (53,84%), aproveitamento que até então todos esperavam, mas que não tinha acontecido. Lopez foi decepcionante e a defesa, como um todo, também, permitindo 22 pontos de Zach Randolph, que fez seu melhor jogo da temporada até então.
    Para dizer que o Lakers não liderou, até a metade do primeiro quarto, vencemos o jogo por 10-8.

    Pontos Negativos: 

    Os desperdícios de bola no primeiro tempo; a postura apática do Lakers na defesa; a atuação de Luke Walton, o baixo número de rebotes (32 contra 44 do outro time); e, por último, mas só para não perder o costume, nosso nojento aproveitamento do lance livre (60%).

    Pontos Positivos:

    Por incrível que pareça, o time não arremessou mal. Tivemos aproveitamento de 50% nos arremessos de quadra (39/78), enquanto que, nas bolas de 3, nosso aproveitamento foi muito melhor do que tem sido até agora nesse temporada (tivemos 51,7% nessa partida, enquanto na temporada, 31,3%, sendo o pior time da liga nesse quesito). Além disso, com exceção do Brook Lopez, nossos titulares fizeram uma partida aceitável ofensivamente, enquanto os reservas, deixaram a desejar: apenas 38 pontos contra 67 do outro time.

    Confira os lances deste jogo

    E aí, o que acharam dessa semana que passou? Foi melhor ou pior do que esperavam? Será que o Lakers começara a ter melhores primeiros tempos? Queremos saber a opinião de vocês!

    Fala aí!