Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Ricardo Romanelli

    08 de Janeiro de 2018 por Ricardo Romanelli

    Desde o começo da temporada, falamos muito sobre como Kyle Kuzma, na 27ª escolha, foi uma das grandes surpresas do Draft. Mas está na hora de falarmos sobre outro bom jogador selecionado pelo mesmo Lakesr, apenas duas escolhas depois: Josh Hart.

    Lesão atrapalhou início de temporada

    O ala-armador de 22 anos começou a temporada de maneira discreta, muito por conta de uma lesão que lhe tirou de boa parte do training camp e da pré-temporada. No entanto, depois que ficou saudável, ele foi cavando seu espaço. Foi a partir de dezembro que ele definitivamente encontrou seu lugar na rotação. Com lesões a jogadores importantes e os problemas legais de Kentavious Caldwell-Pope, Hart foi titular em 6 dos 14 jogos do mês, e não decepcionou. Ele fez apenas 7,6 pontos por jogo, mas alcançou esta marca com aproveitamento de 42% da linha de três, e mais importante do que isso, jogando um basquete de pouquíssimos erros e muito consciente.

    Melhores resultados como titular

    Como titular, ele sobe bem de rendimento. Nas sete partidas em que começou jogando, Hart registrou 11,9 pontos e 5,6 rebotes de média, excelente marca para um jogador com sua altura e característica. Outro grande ponto em que ele tem demonstrado proficiência é na defesa, especialmente no post, área onde a maioria dos jogadores tem muita dificuldade na NBA atual.

    Hart é um jogador que pode não ter um potencial gigante a ser descoberto, mas isso é compensado pelo fato de que ele entrou quase pronto para a NBA. Com quatro anos de experiência universitária e um título da NCAA no currículo (em 2016, com Villanova), ele é um jogador experimentado e que já passou por situações de partidas decisivas que a maioria dos calouros ainda não passou quando entram na NBA. Num time jovem como o do Lakers, este é um ativo importantíssimo, e que sem dúvidas tem rendido frutos para Hart em sua batalha com o restante dos jogadores da posição para ganhar tempo em quadra.

    Comendo pelas beiradas

    E a longo prazo, isso é algo que conta muito a favor dele na montagem do elenco do Lakers para as próximas temporadas. Com Brandon Ingram e Lonzo Ball ocupando duas vagas de titulares no perímetro, o Lakers precisa de um terceiro jogador para a posição de ala-armador que não demande muitos arremessos, que consiga ser eficiente sem a bola e que tenha um impacto dos dois lados da quadra. Hart se encaixa perfeitamente neste perfil, que na verdade é útil para qualquer time na NBA. Numa era onde a maioria dos jogadores da posição dele entram na liga como combo guards com alto volume de arremesso, Hart busca um produtivo caminho oposto, se cacifando para um bom futuro na liga.

    Como um calouro que já joga como veterano, Hart impressiona e vai cavando espaços na rotação. Qual será o próximo passo na escalada deste bom jogador?

    Fala aí!