Espalhe!
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp
  • Bate Papo 0
    magic_johnson_ainda_trabalha_pelo_lakers Já faz um bom tempo que o maior jogador da história do Lakers se aposentou. Foi a única camisa que vestiu em sua carreira, um filho fiel, assim como Kobe Bryant nos dias atuais. Mas engana-se quem pensa que Magic não está ligado ao Lakers ainda.

    Além de ser sócio minoritário, pois detém parte das ações do time (5%), Magic ainda demonstra amor à camisa dourada e roxa. Na época em que jogava, Johnson era o grande facilitador. Sempre queria ter certeza que todos estavam contribuindo, com seus passes arrasadores. Agora, como dirigente, ele continua fazendo isso, só que fora da quadra. Na época em que Kobe pediu em tom de desespero pela situação do time para ser trocado, Jerry Buss, dono do Lakers se enervou. Disse que ouviria propostas pelo maior jogador do planeta. Mitch Kupchak se silenciou, continuando seu trabalho. Já Magic, pediu calma publicamente. "Eu estava no telefone com o Mitch todo dia. Todo mundo precisava se acalmar. Ninguém deveria reagir. Precisávamos falar a mesma língua", disse Magic.

    Johnson também teve papel decisivo para a troca que envolveria Andrew Bynum não acontecer. "Andrew é o melhor jovem pivô da NBA", disse Magic. Ele não concordava com a vontade de Kobe de que isso acontecesse, mas apoiou Bryant quando o atual astro do Lakers tornou pública sua insatisfação com os rumos do time na temporada passada. "Ele fez o que precisava como líder do time. Ele queria ganhar e expressou isso", revelou Johnson. Apesar de também estar frustrado na época, Magic sempre preferiu a razão em troca da emoção. "Nós precisamos tomar uma decisão ligada ao basquete, não à emoção", deu a receita. E este tipo de pensamento que ajudou na negociação que trouxe Pau Gasol para o Lakers. Quando a oportunidade apareceu, Magic sabia que era a hora e o negócio certo para trazer o L.A de volta à briga por títulos. "Estou feliz", revelou Johnson. "Nós conseguimos um grande jogador, esperto, que consegue marcar de dentro e fora do garrafão, que passa e ainda pega rebotes", analisou o maior jogador da história do Lakers.

    Sobre Mitch Kupchak, Magic foi direto. "Se você vai crucificar Mitch, crucifique o Dr Buss também", disse ele, sobre as críticas que o gerente do Lakes vinha sofrendo nas temporadas passadas. "E agora, você tem que dar créditos à eles, pois fizeram um super trabalho", finalizou Johnson. E se Magic disse, está dito!!! GO LAKERS GO!!

    Fala aí!