Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Pau Gasol está feliz no Lakers. Mesmo com a recente contusão que o afastou dos últimos jogos do time, ele está se sentindo muito bem em Los Angeles. O L.A. conseguiu um ótimo jogador para complementar Bryant nas jogadas de ataque, com ótima habilidade nos passes e que se adaptou perfeitamente ao triângulo ofensivo de Phil Jackson.

    A troca também foi positiva para o Memphis, que, de acordo com seu objetivo ao fazer o negócio, conseguiu abrir mais espaço na folha salarial, além de ficar com o novato Javaris Crittenton, que demonstrou ter futuro em alguns jogos no Lakers. E a diretoria do Grizzlies sabe o potencial que Gasol tem para ter sucesso no L.A. "Ele irá ajudá-los a conquistar um campeonato", disse o dono do Grizzlies Michael Heisley. "Sempre senti que ele jogava duro. Nunca tivemos problemas. É um jogador de qualidade. Fiquei extremamente agradecido por ter encontrado um time onde Pau pudesse demonstrar suas habilidades", revelou ele. E ninguém está mais feliz do que Gasol. Em uma entrevista que você acompanha com exclusividade aqui no lakersbrasil.com, ele fala ao jornal commercialappeal.com sobre sua vida em Los Angeles e seus sentimentos sobre a troca.

    Pergunta: Qual a diferença em jogar pelo Grizzlies e pelo Lakers?

    Gasol: Me sinto querido. Eu sempre senti que precisava de respeito em Memphis. Algumas pessoas gostaram do trabalho que eu fiz. Não todos. Mas sempre fui um jogador consistente em minha carreira, mesmo nos momentos difíceis. Eu sei disso, e tenho orgulho. Mas as pessoas aqui estão ansiosas e excitadas desde o primeiro dia. Obviamente, isso é ótimo. É muito bom estar nesta situação, é divertido.

    Pergunta: Que diferença fez no seu jogo atuar com Kobe?

    Gasol: Tenho o melhor do mundo ao meu lado. Foi uma adaptação fácil. Faço o que é pedido para mim. Ele tira muito a pressão dos meus ombros no ataque. E mesmo assim tenho uma função significativa no time, então, estou bem.

    Pergunta: Como é ter como tutor Kareem Abdul-Jabbar?

    Gasol: É incrível. Você respeita os caras que sempre jogaram em alto nível. Nesta organização, você tem os melhores dos melhores. Sou privilegiado. Aliás, tudo é fantástico se você parar e pensar.

    Pergunta: Você sabia que muitas pessoas o queriam fora de Memphis, mas que outras ficaram chateadas com a troca?

    Gasol: Não. Mas não tive nenhuma pessoa vindo até mim na rua e dizendo que queria minha troca. Não recebi nada além de "por favor, fique". Aí você vai para a Arena e tem 20 caras que expressam isso bem alto. Eu sempre disse que tem 80% das pessoas em Memphis que gostam de mim. Como jogador, você sempre quer fazer o melhor. Mas em muitos dos nossos jogos em casa, o ginásio estava metade vazio. Isso era difícil. Vim para cá e todo jogo está lotado, e isso é divertido. Temos 100% de comprometimento e fidelidade inconstestável. É isso que se deve ter.

    Pergunta: O que você vai sempre lembrar do dia em que foi trocado?

    Gasol: Fiquei triste à princípio. O primeiro sentimento que você vê é rejeição, como se eles estivessem virando as costas para você. Isso foi difícil de engolir. Mas, provavelmente serei agradecido à Michael Heisley pelo resto de minha vida. Ele me permitiu estar aqui. É algo que sempre vou lembrar. Não importa o que eles fizessem, o Grizzlies não estaria na disputa do campeonato. Não acho que isso vá acontecer um dia. É apenas como as coisas são, não éramos capazes. Nós tinhamos Jerry West como GM, e se você não conseguir com ele, não acho que existem outras maneiras. Tivemos Hubbie Brown e Mike Fratello, bons técnicos, não foi o bastante. Não acho que o Grizzlies terá algum dia o suficiente para ser candidato. Precisa de muitas coisas.

    Pergunta: Como você descreveria seu relacionamento com o técnico Marc Iavaroni?

    Gasol: Tivemos uma boa comunicação. Ele tem boas intenções. Quer ter sucesso, fazer algo positivo e ser um grande técnico. Tem muito chão pela frente, é seu primeiro ano como treinador. Ele ainda tem que pensar em muitas coisas e nas peças que dispõe. Não digo que será fácil, especialmente do jeito que as coisas estão no Oeste. Todos os times são fortes.

    Pergunta: O que esta troca traz para você?

    Gasol: Sinto que estou numa ótima fase da minha carreira. Isso é a melhor coisa que me aconteceu até agora. Esta ofensiva é ótima da forma com que é armada. Fico bastante no post, e posso distribuir a bola de lá. Tenho grandes jogadores à minha volta, capazes de criar e também de marcar. Estou muito confortável. Obviamente, temos a chance de vencer, e é tudo que desejo.

    COMENTEM!!! GO LAKERS GO!!!

    Fala aí!