Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Kobe Bryant declarou recentemente à jornais americanos que está muito feliz por ser um Laker. A boa fase do time californiano é um contraste total se levarmos em consideração à situação da equipe no começo da temporada. Kobe chegou até a pedir para ser trocado, após 3 anos de promessas e incertezas da diretoria em relação a ter um time competitivo.

    Muitos hoje encaram este pedido de troca como uma chamada para a diretoria acordar. Pode não ser coincidência que o time tenha melhorado tanto desde então. Até mesmo Andrew Bynum, que foi literalmente crucificado por Bryant no famoso vídeo amador gravado num estacionamento por dois jovens, parece ter encontrado motivação no ocorrido para se tornar uma verdadeira ameaça na posição de pivô.

    E hoje, como se sente Kobe? Ele foi questionado sobre a situação de seus sentimentos atualmente e respondeu da seguinte forma. "Eu sempre quis ficar aqui", disse ele. "Eu apenas senti que estava numa posição onde não tinha escolha. Eles queriam ir em outra direção. Minhas pernas não são tão jovens quanto eram. Queria que apenas me avisassem", revelou ele sobre os caminhos tomados pela diretoria desde a saída de Shaq. Kobe depois completou falando da cidade e do que gosta em L.A. "Eu amo o clima. Amo meu Impala 63 e a estrada 405. Adodo os caras", disse Bryant.

    Mas o astro do Lakers fica surpreso quando fala do time e de como as coisas se acertaram tão rapidamente. Desde 2004 a equipe não vence uma série de Playoff's. "Estou esperando isso por quatro anos", disse ele. "Após três ou quatro anos não conseguindo vencer nada, me sinto ótimo. Têm sido uma corrida e tanto", disse ele sobre a atual fase do L.A. E de acordo com Bryant, Mitch Kupchak saiu de uma nota F para um A+. "Ele acreditou nas escolhas de draft que fez, teve paciência", disse Kobe. Entre estas escolhas, estão Jordan Farmar, Andrew Bynum, Sasha Vujacic e Ronny Turiaf. E ainda tivemos as trocas que trouxeram Ariza e Gasol. O pivô espanhol foi o que teve a melhor adaptação, e parece que joga com a equipe há anos. "Eu acho que a habilidade que ele tem para o seu tamanho é inigualável na Liga", disse Bryant sobre Gasol. O astro do Lakers fez questão de mencionar que não sabe se impulsionou o GM Mitch Kupchak a "se mexer" nos bastidores e melhorar o time com o pedido de troca no verão. "Talvez. As vezes precisamos de pressão para lapidar um diamante. No fundo, essa foi minha estratégia sim. Vou dar uma de Phil Jackson e dizer que planejei tudo isso", disse ele sorrindo.

    Outra situação complicada foi a troca de farpas entre Kobe e o dono do Lakers, Jerry Buss. Questionado sobre algum ressentimento ou qualquer clima estranho, Bryant disse que isso não existe. E completou: "Falando sério, eu aprendi uma lição, que você deve separar os negócios do amor ao jogo, pois tivemos muitas decisões no sentido de negócio que eu não fiquei feliz. Eu assumi muita culpa por muitas coisas que eles estavam fazendo. E algumas não me parecem certas, mesmo hoje. Mas você tem que ser capaz de separar isso pelo amor que tem pelo jogo e o respeito pelo seu time", disse ele. Durante o ano, muitas foram as perguntas sobre a mudança de idéia de Kobe, de permanecer no Lakers ou sair mesmo. E na maioria das vezes os repórteres não conseguiam uma resposta clara. "Eu não falo sobre isso. Estas são respostas que dei o ano todo. Eu amo este time. Se eles quiserem vencer agora, estou com eles. É sempre o que eu disse o tempo todo. Temos um trabalho para fazer aqui, então, é importante nos focarmos no que estamos fazendo e não nos distraírmos", disse Bryant.

    Ele parece sempre evitar prolongar este assunto, bem como qualquer outro tipo de tópico que possa causar polêmica. "Eu não quero grandes histórias. A jornada em que estamos está sendo divertida. Jogamos por títulos, queremos ganhar o campeonato. Ficaremos desapontados se não conseguirmos. Mas isso acontece, nos reagruparemos e tentaremos de novo. Temos ótimas peças aqui. É a hora de colocá-las juntas. Temos nosso grandalhão (Bynum) machucado e estamos jogando bem", disse Bryant. Que ele está feliz, não temos dúvida, e mesmo com qualquer fracasso, pelas declarações de Kobe, o que o incomodava era a passividade, ganhar ou perder faz parte, mas não disputar é o que o incomoda mais. Mas, se conhecemos Bryant e sua competitividade, ele fará de tudo para deixar esta história de "o importante é competir" de lado e faturar um caneco para o L.A. GO LAKERS GO!!

    Fala aí!