Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Guilherme Borges

    07 de Novembro de 2018 por Guilherme Borges

    Nas palavras de Luke Walton e LeBron, o jogo contra o Toronto Raptors foi “jogado no lixo”. Passou. O adversário do Los Angeles Lakers hoje é o Minnessota Timberwolves, equipe que já enfrentamos essa temporada. No primeiro jogo, que foi em Minnessota, o Lakers viu Jimmy Buttler, a principal estrela dos adversários, tomar conta do último período e dar a vitória para o time da casa por 124x120. Esperamos que hoje, seja diferente.

    Do nosso primeiro confronto para cá, muitas coisas mudaram para o Timberwolves. A franquia ainda tenta conciliar o pedido de troca de Butler e o andamento da temporada regular. Nesse ambiente, tem sido difícil se manter competitivo. Desde o primeiro jogo contra o Lakers, o Timberwolves jogou quatro partidas, perdendo três e ganhando apenas uma, ficando com um recorde de 4-7, pior até mesmo do que o da equipe Angelina (4-6). Isso se dá, principalmente pelo fato de Butler estar tentando forçar a troca e escolhendo ficar de fora de alguns jogos. Aliás, por conta disso, ele é dúvida para o embate de hoje.

    Para o Lakers, a situação continua a mesma. Ainda somos um time em desenvolvimento, que apresenta severas falhas defensivas e ofensivas, mas que possui alguns momentos brilhantes. A equipe ainda está entendendo como jogar junta e se conhecendo. Desde o primeiro encontro entre nós e o Timberwolves, tivemos duas vitórias e uma derrota. Além disso, a partida de hoje marca o primeiro jogo de Tyson Chandler com a camisa do Lakers. Ainda não é sabido se de fato o pivô irá jogar, já que ele ainda nem mesmo treinou com o elenco. Como Luke ainda está buscando o entrosamento entre os jogadores, inserir uma peça nova, sem muito treino, não parece ser uma boa opção. De qualquer forma, Chandler estará disponível.

    Para nós, o segredo do jogo estará em vencer a batalha de rebotes e conter os arremessos de três prontos. No primeiro jogo contra esse mesmo adversário, o Lakers cedeu 20 rebotes ofensivos e permitiu a conversão de 14 bolas de três pontos (48,3% de aproveitamento). Além disso, colocamos o Timberwolves na linha do lance livre 30 vezes, sendo que 26 deles foram convertidos em pontos. De acordo com Luke Walton, esses foram os principais focos do último treino: defesa (focando principalmente na defesa em transição), deixar o adversário fora do lance livre, e marcação de perímetro. Além disso, também houve um treino específico para melhorar a execução do ataque.

    Do ponto de vista defensivo e do rebote, o Lakers tenta ainda encontrar uma alternativa para quando JaVale McGee não está em quadra. Foi pensando nesses quesitos que a diretoria Angelina trouxe Tyson Chandler. Mesmo jogando poucos minutos no time do Phoneix Suns (era o décimo jogador em minutos), Chandler era o segundo melhor reboteiro do elenco. Além disso, Chandler é tido também como um bom protetor do aro. Ele pode ser uma excelente alternativa para o time reserva, que ainda não encontrou um jogador que correspondesse ao exigido para a posição. Atualmente, os pivôs reservas utilizados são Jonathan Williams e Ivica Zubac.

    Na parte do ataque, apesar de uma evidente falta de sistema que as vezes se evidencia, os erros são mais compreensíveis para um elenco que ainda está aprendendo a se entrosar. Contra o Timberwolves, nosso elenco não foi tão mal no ataque (47,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra), deixando a desejar apenas nos lances livres, aspecto que, caso queiramos ganhar hoje, deve ser melhor.

    Por conta do horário de verão, a laranja irá subir às 1h30min da madrugada

    Pré–Jogo

    Arena: Staples Center, Los Angeles
    Horário: 1h30
    Transmissão: NBA League Pass; ESPN

    Os Quintetos

    Lakers: McGee, Kuzma, James, Ingram e Ball
    Trail Blazers: Towns, Gibson, Wiggins, Butler e Rose

    Lesões

    Lakers: Luke Walton poderá contar com todo o time.
    Timberwolves: Jeff Teague ainda está machucado e ficará de fora desse jogo.

    Fala aí!