Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Rodrigo Medeiros

    05 de Novembro de 2018 por Rodrigo Medeiros

    Em outubro o Los Angeles Lakers disputou oito partidas, vencendo apenas três e perdendo as outras cinco. Atualmente, ocupa apenas a 11ª posição da Conferência Oeste.

    Ainda é começo de temporada e o time Angelino tem muito tempo e jogos para se recuperar e buscar a classificação aos playoffs.

    Foram quatro jogos em casa e quatro jogos fora de casa. Nos jogos em casa foram duas vitórias e duas derrotas, já fora de casa apenas uma vitória e três derrotas.

    Alguns pontos que observamos que o time precisa evoluir e que fazem a diferença são: Nos jogos que o time obteve vitória, o aproveitamento nos lances livres foi de 77.1%, 40.5% nas bolas de 3 pontos e 51.1% no aproveitamento de arremessos.

    Já nas derrotas, o aproveitamento nos lances livres cai para 67.9%, 32.3% nas bolas de 3 pontos e 48.6% no aproveitamento de arremessos. Outro ponto que há uma queda na média é na roubada de bola, que vai de 12.7 nas vitórias para apenas 7.2 nas derrotas.

    Agora, vamos analisar os números do mês de outubro, na produção ofensiva da equipe.

    ATAQUE

    O ataque foi um dos principais pontos positivos da equipe, sendo o 3º melhor ataque da liga com 121 pontos por jogo de média, atrás apenas de New Orleans Pelicans e do líder Golden State Warriors.

    O cestinha do time foi Lebron James, com média de 27.8 pontos por jogo. O Lakers teve oito jogadores com mais de 10 pontos de média, são eles: Lebron James (27.8), Kyle Kuzma (19.3), Brandon Ingram (17.3), JaVale McGee (15.5), Josh Hard (11.9), Rajon Rondo (11.2), Lance Stephenson (10.8) e Lonzo Ball (10.1).

    Ainda no ataque, o time Angelino tem o 4º melhor aproveitamento de arremessos, com 49.5% de acertos. Cinco jogadores tiveram mais de 50% de aproveitamento, são eles: JaVale McGee (63.2%), Johnathan Williams (57.9% - acertou 11 de 19 arremessos tentados), Rajon Rondo (53.3%), Lance Stephenson (52.9%) e Lebron James (50.9%).

    Temos ainda quatro jogadores que ficaram entre 40 e 50% de aproveitamento, são eles: Brandon Ingram (47.4%), Kyle Kuzma (47.3%), Lonzo Ball (46.2%) e Josh Hart (44.9%).

    Os piores aproveitamentos do time foram de: Kentavious Caldwell-Pope (35.7%), Michael Beasley (33.3% - 1 de 3 convertido), Svi Mykhailiuk (25% - 3 de 12 convertidos) e Ivica Zubac (0% - 2 arremessos tentados).

    DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS

    Resultado de imagem para brandon ingram

    O Los Angeles Lakers anota em média 30.6 pontos no 1º período, sendo o terceiro time que mais pontua no início do jogo. E após a pausa para mudança para o 2º o período, o time Angelino volta ainda melhor, anotando 33.2 pontos em média, sendo o segundo melhor da liga.

    Porém, após o intervalo, na volta ao 3º período, a equipe do técnico Luke Walton parece “perder forças” e é apenas a quinta equipe que mais pontua, com 30.2 pontos no período. Já no quarto e decisivo período, a equipe despenca para 25.1 pontos de média é o quarto pior time nesse ponto.

    A equipe é também a segunda equipe que mais anota pontos no garrafão, com 62.8 pontos por jogo, ficando atrás apenas do New Orleans Pelicans. Nos pontos originários de contra-ataques, a franquia angelina é melhor nesse quesito, com 24.6 pontos de média.

    BOLAS DE 3 PONTOS

    Esse é um ponto do ataque que o time Angelino precisa melhorar. Na verdade, o Lakers precisa de bons arremessadores de longa distância. A equipe tem apenas o 19º melhor aproveitamento nas bolas de 3 pontos, com 34.9%.

    Apenas dois jogadores fazem 2 ou mais cestas de 3 pontos, são eles: Josh Hart, que converte em média 2.1 cestas de 3, com 40.5% de aproveitamento. Lonzo Ball contribui com mais 2 cestas e 41% de aproveitamento.

    Outros quatro jogadores contribuem com ao menos uma bola de 3 por jogo: Kyle Kuzma com 1.8 bolas longas convertidas e 29.8% de aproveitamento; Lebron James com 1.5 cestas de 3 pontos convertidas e 27.3%; Rajon Rondo acerta em média 1.2 bolas por jogo com 46.2% de aproveitamento; Lance Stephenson contribui com 1.1 cestas e 45% de aproveitamento e Brandon Ingram com 1 bola de 3 pontos por jogo e 36.4% de aproveitamento.

    O pivô JaVale McGee teve 50% de aproveitamento nas bolas longas, acertando 1 bola em 2 tentativas. Svi Mykhailiuk ficou com 20% de aproveitamento – 1 bola em 5 tentadas. Johnathan Williams, Michael Beasley e Ivica Zubac não tentaram bolas de 3 pontos.

    O time não possui jogadores especialistas nas bolas de 3 pontos, algo que o técnico Luke Walton gosta de utilizar. A falta de um especialista faz falta para o time, que desperdiça muitos arremessos longos.

    A equipe converteu 84 arremessos de 3 pontos em 241 tentativas.

    LANCES LIVRES

    Fundamento básico do basquete e que por muitas vezes foi criticado na temporada passada e que continua baixo nessa temporada. É um ponto que precisa evoluir pois em alguns jogos, contribuiu para a derrota da equipe o baixo aproveitamento nos lances livres.

    O time Angelino tem apenas o 25º melhor aproveitamento (ou o 6º pior) com apenas 71.6%, muito abaixo do Portland Trail Blazers, melhor time no fundamento,            que tem 87.9% de aproveitamento.

    Apenas três jogadores têm mais de 80% de aproveitamento nos lances livres, são eles: Rajon Rondo com 100% (cobrou apenas 2 lances livres); Kentavious Caldwell-Pope terminou com 92.9% de aproveitamento e 13 convertidos em14 tentados. Kyle Kuzma ficou com 81.8%.

    Outros dois atletas tiveram mais de 70% de aproveitamento: Lebron James com 78.7% e Lance Stephenson com 71.4%.

    Brandon Ingram com 68.8% e JaVale McGee com 61.9% ficaram abaixo da média da equipe. Já jogadores como Lonzo Ball (55.6%), Josh Hart (53.3%), Michael Beasley (50%), Svi Mykhailiuk (50%) e Jhonathan Williams (20%) precisam melhorar e muito nesse tipo de fundamento.

    São muitos pontos deixados na linha dos lances livres e cabe aos jogadores treinarem esse fundamento básico e que é importante. No jogo contra o San Antônio Spurs no Staples Center, os dois lances livres perdidos por Lebron James fizeram muita falta na derrota da equipe (apenas um exemplo de pontos perdidos).

    ASSISTÊNCIAS

    Resultado de imagem para lakers three point shooting

    Com bons passadores na equipe, como Rajon Rondo, Lonzo Ball e Lebron James, a franquia Angelina é o 5º time que mais dá assistências, com 26.4 de média por jogo.

    Apenas quatro jogadores distribuem mais de 2 assistências por jogo: Lebron James (8); Rajon Rondo (7.4); Lonzo Ball (4.5) e Lance Stephenson (2.6). Apenas Michael Beasley ainda não distribuiu assistências.

    O técnico Luke Walton tem aproveitado os bons passadores do time e implantado um jogo em que a equipe rode mais bola em busca de um arremessador em melhor posição ou que consiga “furar” os bloqueios adversários e consiga pontuar próximo à cesta.

    REBOTES

    Resultado de imagem para lakers offense

    Outro ponto que a equipe precisa melhorar é nos rebotes. O time é apenas o 18º que mais “pega” rebotes, com 44.5 por jogo. Já os rebotes ofensivos, o Lakers é o 19º time, com 10.3 de média. Já os rebotes defensivos, 34.3, a franquia Angelina é a 18ª.

    Os adversários do Lakers pegam em média 47.9 rebotes por jogo, a 9ª pior marca da liga. E isso acaba gerando uma segunda chance de pontos para os adversários. A equipe leva em média 13.5 pontos devido à essa “chance”, o 11º pior na liga.

    Para ter um melhor parâmetro, o Lakers tem 70.3% de aproveitamento nos rebotes defensivos, um dos piores da liga. O melhor time é o Dallas Mavericks, com 78.2%.

    O Lakers tem apenas três jogadores que pegam 5 ou mais rebotes por jogo: Lebron James (8.6), JaVale McGee (7.5) e Kyle Kuzma (5). O time precisa trabalhar melhor os rebotes, a proteção (caixa) para que outro jogador pegue o rebote. Contra o Minnesota Timberwolves o pivô Karl Anthony Towns conseguiu 3 rebotes ofensivos seguidos, e fez a cesta.

    Técnico e jogadores precisam acertar o posicionamento e ajustarem a marcação para impedir/diminuir as chances de uma segunda chance de ataque dos times adversários.

    PONTOS CEDIDOS

    Um velho problema volta a atormentar o time Angelino. O Lakers tem a 2ª pior defesa da liga, com 121.1 pontos cedidos por jogo. Está à frente apenas do Washington Wizards que sofre 122.4 pontos por jogo.

    E logo no 1º período, o Lakers leva em média 30.9 pontos, a 3ª pior média da liga. No 2º período, a defesa tende a melhorar um pouco, cedendo 29.6 pontos, a 9ª pior (coincidentemente é o período de melhor pontuação da equipe também, 33.2 pontos).

    No 3º período já volta a sofrer mais de 30 pontos por jogo, com 30.2, a 6ª pior marca da liga. E fecha o jogo com sua melhor marca de pontos sofridos, com 28.5, a 10ª pior. E é justamente no 4º período que o time menos pontua, com 25.1 pontos. Mesmo com a melhora defensiva, o time ainda fica abaixo do “saldo positivo”.

    Os times adversários acertam em média 51.2% dos arremessos tentados contra o Lakers, sendo a 6ª pior marca da liga. O garrafão do é outro ponto vulnerável da defesa, que leva em média 57 pontos por jogo. Só leva menos no garrafão do que Phoenix Suns e Houston Rockets.

    Em contra-ataques, o time Angelino leva em média 13.8 pontos, a 14ª melhor marca. O time ainda concede 17.3 pontos originários dos turnovers (desperdício de bola).

    Dos pontos sofridos, 66.8 pontos são de cestas de 2 pontos, a 3ª pior marca da NBA e sofre 33.8 pontos em bolas de 3 pontos, aproximadamente 11 por partida e a 14ª melhor marca.

    Do total de pontos sofridos, 17% são pontos de lances livres.

    ROUBOS DE BOLA

    Resultado de imagem para lakers offense

    Apesar de ter uma das piores defesas da liga, o Lakers rouba em média 9.3 bolas por jogo, a 5ª melhor marca da liga. E ao menos sete jogadores roubam pelo menos uma bola por partida.

    Lebron James lidera com 2.1 roubos por partida, seguido por Josh Hart (1.8), Lonzo Ball (1.1), Lance Stephenson (1.1), JaVale McGee (1), Rajon Rondo (1) e Brandon Ingram (1).

    TOCOS

    Resultado de imagem para javale mcgee block

    Com 6.1 tocos por jogo de média, o Lakers é o 10º melhor time no fundamento. O destaque fica por conta do pivô JaVale McGee, que distribui em média 3.3 tocos por partida, único jogador da equipe que deu mais de 10 tocos na temporada, deu 26 tocos.

    Brandon Ingram com 1.3 é outro jogador que distribui ao menos 1 toco por partida. Kyle Kuzma contribui com 0.8 e Lebron James com 0.5.

    TURNOVERS (DESPERDÍCIO DE BOLA)

    Um dos maiores problemas da equipe na última temporada, equipe desperdiça a bola em 14.8 oportunidades, a 17ª na liga, um pouco melhor que na última temporada.

    Ainda é um ponto a ser melhorado, já que os adversários aproveitam e marcam 17.3 pontos por partida após esses desperdícios.

    BANCO DE RESERVAS

    Resultado de imagem para lakers offense

    Os jogadores vindos do banco de reservas contribuem com 36.1 pontos por jogo, apenas o 21º melhor da liga. Tem também o 10º melhor aproveitamento de arremessos, com 46%.

    Com 36.2% de aproveitamento na linha dos 3 pontos, o time tem o 11º melhor aproveitamento. O aproveitamento na linha dos lances livres é um dos piores da liga, com 65.8%.

    OUTROS DADOS ESTATÍSTICOS

    - O Lakers provoca em média 16.8 turnovers (desperdício de bola) dos times adversários.

    - Os times adversários distribuem em média 24.3 assistências por jogo.

    - A equipe Angelina permite em média 47.9 rebotes aos adversários, sendo 35.6 defensivos e 12.3 ofensivos.

    - O time leva também 6 tocos por jogo, a 10ª que mais leva tocos da liga.

    Nesse primeiro mês da temporada o Lakers perdeu 5 partidas, porém demonstrou muita luta em todas elas. As aquisições de Rajon Rondo, Lance Stephenson, JaVale McGee e do melhor jogador da liga (e do mundo) Lebron James deram uma esperança para a torcida, que esperava mais nesse início.

    O trabalho do técnico Luke Walton está sendo ainda mais questionado pela torcida angelina. Algumas rotações e substituições durante os jogos tem sido alvo de críticas, como a utilização de Kyle Kuzma na posição de pivô.

    Outro ponto que precisa ser melhorado, é a utilização de Brandon Ingram ao lado de Lebron James. Ingram ainda não conseguiu render ao lado do King James, e tem produzido mais quando James não está em quadra.

    A utilização de Lonzo Ball e Rajon Rondo juntos em quadra também não surtiu efeito. Os dois jogadores não são bons arremessadores e precisam da bola nas mãos para desenvolverem o melhor de seus jogos, o passe. E com Lebron em quadra, fica mais um jogador que “precisa” da bola.

    Luke Walton também precisa melhorar sua percepção do jogo, principalmente no último período, em que algumas rotações foram uma péssima combinação e custaram a vitória do time.

    A falta de jogadas ofensivas nos momentos decisivos também tem aparecido. Contra o San Antônio Spurs em Los Angeles, foi pedido um tempo e a jogada foi uma “isso” do Lebron James, algo nítido para os jogadores do time texano que fizeram a marcação e venceram o jogo.

    Kyle Kuzma em alguns momentos também pareceu “desesperado” em querer decidir os jogos e cometeu muitos erros. Falta o “dedo” do técnico, montar jogadas, “domar” os jogadores e organizar melhor os ataques.

    No mais, a temporada promete ser de recuperação e esperamos já nesse mês uma evolução da equipe e começar a brigar por melhores posições na Conferência Oeste.

    Fala aí!