Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Sérgio Segundo

    16 de Janeiro de 2019 por Sérgio Segundo

    O momento era ruim para o Los Angeles Lakers, ainda sem LeBron James. Tendo perdido sete dos últimos dez confrontos, com duas derrotas em sequência, nada melhor do que enfrentar uma equipe que possui o segundo pior desempenho na liga e uma triste sequência de sete (agora oito) quedas na quadra seguidas, sem vencer desde o dia 28 de dezembro. E essa equipe era o Chicago Bulls, derrotado por 107 a 100 no Staples Center.

    Durante a primeira metade da partida, os dois times mostravam fraqueza tática tanto ofensiva quanto defensivamente, mesmo com as alterações de Luke Walton no quinteto titular (Kentavious Caldwell-Pope no lugar de Josh Hart, bem como Tyson Chandler na posição de JaVale McGee). Sem nenhum grande nome no embate, a diferença no intervalo era de somente 1 ponto de vantagem para os mandantes.

    De qualquer forma, tudo mudou no terceiro período, quando o Lakers se manteve facilmente na dianteira. Lonzo Ball se agigantou em cestas de 3, foi destaque ofensivo (vale também mencionar Brandon Ingram, KCP e Kyle Kuzma no quesito) e terminou, inclusive, como o cestinha do jogo (19 pontos). A diferença entre as franquias era enorme, chegando até a 18 pontos no último quarto. Mas a partida "ganha" não estava tão ganha assim.

    Nos minutos finais, o time de Los Angeles mostrou, mais uma vez porquê é considerada uma equipe inexperiente, insegura e instável. Mais um dos velhos "apagões" em quadra fez com que, durante o último minuto, a separação no placar fosse de somente 5 pontos, por conta dos desperdícios nos arremessos e lances livres, além dos turnovers cometidos. Por fim, graças a uma falta cometida por Ivica Zubac no perímetro, o Bulls caiu por 7 pontos, mas atingiu a marca dos 100.

    Ainda fora da zona de classificação para os playoffs, o Lakers está de volta nessa quinta-feira, talvez já contando LeBron para visitar o Oklahoma City Thunder.

    Fala aí!