Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Sérgio Segundo

    18 de Janeiro de 2019 por Sérgio Segundo

    Oklahoma City Thunder, terceiro colocado da conferência Oeste, jogando na sua arena e com a sua torcida, contra um Los Angeles Lakers desfalcado, sem o principal astro da franquia: LeBron James. Seria necessário bastante esforço para a vitória ser angelina, mas para a nossa alegria, "esforço" foi palavra-chave nesta noite. No período extra, o Lakers levou a melhor por 138 a 128.

    A julgar pelo primeiro quarto, tudo corria bem para Russell Westbrook e companhia. Se aproveitando dos turnovers, o Thunder não encontrava dificuldades para liderar, assim, alcançado pela segunda vez, sua maior pontuação na temporada no primeiro período, 39 pontos, enquanto a equipe de Los Angeles possuía somente 27.

    No início do segundo período, Luke Walton arriscou e colocou a segunda unidade na quadra (teve até um momento engraçado, quando Michael Beasley, beneficiado com mais minutos recentemente, foi para a quadra com os shorts errados). Arriscou bem, pois o empate logo veio. Lonzo Ball e Kyle Kuzma estavam muito bem na partida, que se tornou disputada ponto a ponto, até o encerramento do tempo regulamentar. 

    Entrando no último período regulamentar, nos instantes finais, o time de Los Angeles tinha 3 pontos de liderança, enquanto o Thunder dispunha de aproximadamente 5 segundos para se salvar.  Mas se salvou, e em menos tempo, graças a uma falta sobre Westbrook na linha de 3 (o Twitter oficial da arbitragem da NBA viria a dizer depois que a marcação da falta foi um erro dos árbitros). Ele converteu todos os lances livres, e na última posse, com 02,9 segundos restantes, não foi possível desempatar. Mas de fato, o grande confronto exigia mais um pouco de tempo. 

    Com a prorrogação, os principais nomes do Lakers neste duelo até então se consolidaram de vez. Kuzma, cestinha da partida com 32 pontos, estava realmente a mão quente desde o terceiro quarto, mas o verdadeiro "clutch" foi Ball, convertendo cestas do perímetro em momentos realmente necessários e tensos. Enquanto isso, a partida também foi histórica para Ivica Zubac, que teve a maior pontuação de sua carreira, dominando o garrafão adversário e anotando 26 pontos; assim como para Brandon Ingram, que teve o maior número de assistências em um jogo como profissional (foram 11 delas). A boa atuação de Paul George e o quase triplo-duplo de Russell Westbrook (faltou um rebote para o MVP da temporada retrasada) não foram suficientes para frear os angelinos, superiores no momento de acréscimo.  Superiores o suficiente para vencerem por 10 pontos e emplacarem o segundo triunfo em sequência. 

    Tendo o mesmo aproveitamento do Utah Jazz, o Lakers se encontra na oitava colocação, a última na zona de classificação para os Playoffs. Porém, a diferença para a própria equipe de Oklahoma, terceira colocada, é de somente duas partidas. Por fim, a saga continua no sábado à noite, ainda na estrada, mas dessa vez, pulando de um MVP para outro: o embate será contra o Houston Rockets de James Harden.

    melhores momentos

    Fala aí!