Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Ricardo Romanelli

    20 de Fevereiro de 2019 por Ricardo Romanelli

    Ainda na briga para se classificar para os Playoffs, o Lakers olha para o mercado em busca de mais um jogador para compor o elenco. Com a vaga aberta na troca de Ivica Zubac e Michael Beasley por Mike Muscala, a diretoria estuda com atenção o mercado de buyout e explora a situação de atletas sem vínculo para se juntarem ao time neste último terço de temporada.

    O pivô Enes Kanter, que assinou com o Portland Trail Blazers; o ala-armador Wayne Ellington, que assinou com o Detroit Pistons, e o ala-pivô Markieff Morris, que foi para o Oklahoma City Thunder eram os primeiros alvos da diretoria, mas acabaram escolhendo outros caminhos.

    As opções agora são poucas, e francamente, nenhuma deve fazer grande diferença nos rumos da temporada. O prazo para assinar com um atleta e ele poder disputar os Playoffs é o dia 1º de março, e por isso pode ser que o Lakers espere até lá para ver os nomes que estão disponíveis. Até lá, as principais opções já estão bem delineadas.

    Carmelo Anthony

    Resultado de imagem para carmelo anthony lebron james

    Um dos maiores astros da NBA nos últimos 15 anos, Carmelo Anthony parece acabado. Incapaz de contribuir com seus últimos dois times, Oklahoma City Thunder e Houston Rockets, Carmelo foi trocado duas vezes só na atual temporada. Atualmente, está sem time, após rescindir o vínculo com o Chicago Bulls, time que o adquiriu junto ao Rockets apenas para aliviar a situação salarial do time de Houston, já com acordo prévio de que o Bulls o dispensaria.

    Carmelo não joga desde novembro, quando foi afastado da rotação do Rockets após apenas dez jogos na temporada. Nestas partidas, registrou médias de 13,4 pontos e 5,4 rebotes, com 40,5% de aproveitamento nos arremessos e 32,8% nas bolas de longa distância em 29,4 minutos por jogo.

    A seu favor, pesa o fato de ser amigo de longa data de LeBron James. Por mais desastrosas que tenham sido suas últimas atuações, o argumento seria de que se há alguém capaz de extrair o melhor de Anthony, é LeBron. Por outro lado, o Lakers já tem jogadores demais para as posições de ala, especialmente os jovens Brandon Ingram e Kyle Kuzma, cujo desenvolvimento é prioridade. Além disso, após o fiasco protagonizado na situação de Anthony Davis por Rich Paul, empresário de LeBron e bastante ligado ao astro, a diretoria pode optar por dizer não a LeBron neste momento para retomar o controle da situação.

    Marcin Gortat ou Robin Lopez

    https://imagesvc.timeincapp.com/v3/fan/image?url=https://spacecityscoop.com/wp-content/uploads/getty-images/2017/07/904313778-850x560.jpeg&c=sc&w=590&h=389

    Falamos dos dois juntos porque são o mesmo tipo de jogador. Os veteranos pivôs foram liberados por Los Angeles Clippers e Chicago Bulls, respectivamente. Em tese, o Lakers não teria interesse em nenhum, até porque trocou Zubac numa tentativa de enxugar a rotação de pivôs, que já conta com JaVale McGee, Tyson Chandler, Mo Wagner e o recém-chegado Mike Muscala.

    Apesar disso, Gortat e Lopez são veteranos com um basquete mais da velha guarda e que podem trazer alguns elementos interessantes, como intensidade defensiva, tamanho, rebotes e bons corta-luzes. Lopez, irmão gêmeo de Brook Lopez, é nascido em Los Angeles. Por enquanto, o Golden State Warriors demonstrou algum interesse por Lopez, mas sem fazer proposta. A maioria dos times de playoffs tem situação de pivô bem definida, então ambos estão enfrentando um mercado de poucas opções. Gortat, de 35 anos, havia falado sobre se aposentar ao final da temporada por ocasião do início da atual campanha. Já Lopez, de 30, ainda tem muita lenha para queimar na NBA e precisa de um time que lhe dê minutos para que possa buscar um novo contrato na offseason.

    Ben McLemore

    http://www.nbapassion.com/wp-content/uploads/2016/02/ben-mclemore.jpg

    O ala-armador de 26 anos vem acumulando atuações fracas nas últimas temporadas, e precisa de uma situação que lhe permita dar uma virada na carreira. Escolha de loteria (7) no Draft de 2013, McLemore fez temporada fraquíssima com o Sacramento Kings, que o dispensou após registrar apenas 3,9 pontos por jogo em 19 partidas disputadas. Draftado pelo próprio Kings, ele passou quatro temporadas com o time de Sacramento sem conseguir se firmar, e assinou com o Memphis Grizzlies antes da campanha de 2017-18. Em Memphis, também não se consolidou, e em julho de 2018 foi trocado de volta para o Kings, onde foi dispensado no começo do mês.

    No basquete universitário, onde jogou pela universidade de Kansas, era um exímio arremessador, registrando 42% de aproveitamento nas bolas de três e 87% nos lances livres. Esses números não lhe acompanharam na NBA, onde converte bolas de longa distância levemente acima da média, com 35,3% de aproveitamento na carreira. No Lakers, entretanto, possivelmente teria dificuldades em amealhar minutos em uma posição que já conta com Reggie Bullock, Kentavious Caldwell-Pope, Lance Stephenson, Josh Hart e o improvisado Brandon Ingram como opções. Diante da falta de interesse na NBA, pode ir para o basquete internacional em breve.

    G-League

    https://s22928.pcdn.co/wp-content/uploads/2018/04/Andre-Ingram-4.jpeg

    Na falta de boas opções no mercado da NBA, talvez fosse o caso de o Lakers olhar para a G-League, a liga de desenvolvimento. Com Alex Caruso fazendo aparições esporádicas no time principal, outro atleta do South Bay Lakers pode vir a ser uma boa adição para a equipe de Luke Walton. O carismático Andre Ingram, que estreou na NBA na temporada passada aos 32 anos, após várias temporadas na G-League, talvez mereça uma nova chance. Ele registra apenas 8,7 pontos de média na atual temporada, então a memória afetiva seria o único ponto a seu favor no momento. O líder em pontuação do time é o ala Travis Wear, que também fez parte do elenco principal no ano passado, com 15,2 pontos por partida e 38,7% nas bolas de três.

    No geral, o elenco do South Bay Lakers não traz grandes opções, mas talvez atletas de outras franquias sejam interessantes. Jared Brownridge (Delaware Blue Coats – Philadelphia 76ers) é um dos líderes da liga em bolas de três, convertendo 3,6 bolas de longe por partida com 39,7% de aproveitamento em 34 partidas. Anthony Bennet, ex-número 1 do Draft de 2013, também parece estar se recuperando na G-League. O ala, ainda jovem com 25 anos, registra 2,1 bolas de três por jogo, convertendo 44,9% de suas tentativas pelo Agua Caliente Clippers. As opções na G-League, entretanto, não seriam de jogadores para fazer diferença, então seria preferencial o Lakers dar mais minutos a um de seus jovens que participe atualmente da competição, como Isaac Bonga e Mo Wagner, visando o desenvolvimento deles para a próxima temporada.

    Aconteça o que acontecer, o Lakers deve ter uma definição até o dia 1º de março, pelos motivos explicados. Pode ser que o time ainda aguarde um desfecho da situação de atletas como DeAndre Jordan (New York Knicks) ou Trevor Ariza (Washington Wizards), que foram especulados como candidatos a rescisão contratual nas últimas semanas. Nenhum deles, entretanto, parece próximo de ser liberado por seus atuais times, e dada a timidez das movimentações neste mercado, devem preferir permanecer onde estão por enquanto. Outros atletas, como os citados no texto e os veteranos Zach Randolph, Omri Casspi e Greg Monroe estão tendo dificuldades para encontrar novos times.

    Fala aí!