Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Rodrigo Medeiros

    04 de Fevereiro de 2019 por Rodrigo Medeiros

    LeBron James ficou quase 40 dias fora do time do Los Angeles Lakers. Sem King James, o desempenho do time caiu e muito. Nesse período, jogadores como Rajon Rondo, Kyle Kuzma e Lonzo Ball também desfalcaram a equipe.
    Em 17 partidas, a equipe Angelina somou apenas seis vitórias, um aproveitamento de apenas 35,3%, ocupando 23ª colocação no período. Ao analisarmos os times da conferência Oeste, o Lakers ficou à frente apenas de Memphis Grizzlies e Phoenix Suns.

    Alguns pontos negativos colaboraram para o baixo desempenho da equipe, que atualmente se encontra fora da zona de classificação aos playoffs (quando LeBron saiu, a equipe brigava por mando de quadra).

    LANCE LIVRE

    A equipe Angelina foi a 10ª equipe que mais cobrou lances-livres, uma média de 25 por partida, porém teve o 2º pior aproveitamento, com apenas 67.3%. A equipe perde muitos pontos fáceis durante os jogos por conta disso.
    E o mais preocupante, parece que a equipe não realiza treinos para corrigir. Luke Walton e sua comissão técnica deveriam cobrar um melhor desempenho dos jogadores, afinal, converter lance-livre é o básico do basquete.
    Apenas dois jogadores tiveram mais de 80% de aproveitamento nos lances livres: Ivica Zubac com 88.2% e Kentavious Caldwell-Pope com 85%. 

    BOLAS DE 3 PONTOS

    O Los Angeles Lakers teve o 2º pior aproveitamento nas bolas de 3 pontos, com 31.1%. A equipe tentou em média 29.1 arremessos por partida. Com apenas 3 jogos no período, Rajon Rondo converteu 57.1% dos arremessos.
    Lonzo Ball com 37.3% e Lance Stephenson com 36.2% foram os outros jogadores que tiveram aproveitamento superior a 35%. Destaques negativos para Michael Beasley com 18.2%; Moritz Wagner 23.1% e Svi Mykhailiuk com 26.3%.

    ANÁLISE

    Esses dois fundamentos, foram tão ruins quanto à época em que LeBron James estava na equipe. A diferença era a qualidade na hora de pontuar e liderar a equipe do astro. LeBron é o líder do time em quadra, e sem ele, os jovens jogadores sentiram a pressão.

    Hoje, podemos ver de uma forma ainda mais clara o real impacto de “King James” no time Angelino. Com ele na equipe, o aproveitamento foi superior a 50% das partidas. E no período em que esteve fora por lesão, o Lakers foi humilhado em casa para os fracos Cleveland Cavaliers e New York Knicks (dois times que estão “tankando”).

    A torcida esperava mais de jovens como Brandon Ingram, Lonzo Ball, Kyle Kuzma e Josh Hart. Esperava-se que ao menos iriam manter a equipe na zona de classificação aos playoffs, porém, o desempenho deles em quadra deixou e muito a desejar, tanto que o time Angelino já está se movimentando em realizar trocas para ajudar LeBron James.

    Outro ponto a ser questionado, é a permanência de Luke Walton e sua comissão técnica, que não conseguiu dar padrão ao time e não consegue fazer o time evoluir seu jogo, sendo totalmente dependente de LeBron James.

    Com a volta de LeBron (vitória sobre o rival Los Angeles Clippers) o time deve retornar a zona de classificação aos playoffs e caso se concretize a troca para que Anthony Davis se junte ao Lakers, a equipe irá brigar por mando de quadra (estamos cinco vitórias atrás do Portland Trail Blazers).

    Fala aí!