Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Rodrigo Medeiros

    10 de Junho de 2019 por Rodrigo Medeiros

    O jornalista Ric Bucher entrevistou o armador Rajon Rondo para a Bleacher Report, e o armador não poupou palavras para falar sobre os principais pontos da dramática temporada do Lakers. Destacamos os principais trechos:

    De acordo com Ric Bucher, enquanto o Toronto Raptors pensa em uma estratégia para fechar a série contra o Golden State Warriors, o armador Angelino Rajon Rondo disse que “poderia treinar nos playoffs, porque tudo é sobre ajustes. Dê-me dois dias para treinar e descobrir: Ok, o que você vai correr? Ou o que precisamos correr? Sou bom nisso”.

    Porém Rondo, Lebron e o time do Los Angeles Lakers não conseguiram chegar a pós temporada, muito menos conseguiram enfrentar o Golden State Warriors e não fizeram nada que provasse o contrário. E tudo isso foi uma desilusão, pois o modo “palayoff Rondo”, além do forte ego não foram vistos na temporada regular, algo que costuma elevar seu jogo bem como “transformar” os companheiros, com um modo “playoffs”.

    Antes de começar a temporada, Rondo já planejava uma disputa contra os atuais campeões, tanto que já tinha em mente quem marcaria quem.  Com esse elenco contendo Lebron James, as expectativas do veterano armador eram de alcançar as finais. Rondo disse ainda que James não é apenas o melhor jogador, mas é também o mais inteligente. De acordo com o armador Angelino, se você colocaria o QI dele e de Lebron juntos contra o QI de Draymond Green, sem querer desmerecer os outros jogadores. Essa era sua mentalidade, porém as coisas não saíram da forma como planejaram.

    Rondo afirmou ainda que os recentes times que defendeu, todos por uma temporada apenas, fizeram com que os próprios jogadores tivessem uma visão diferente do atleta, sendo que muitos o julgavam como uma pessoa complicada e depois viram que ele era uma pessoa boa. O armador diz ainda que mudou de comportamento após se tornar pai. E quanto mais velho, mais maduro se tornou.

    Seu grande momento jogando pelo Los Angeles Lakers foi na rodada de natal diante do Golden State Warriors, com uma excelente vitória na Oracle Arena. A partida marcou a lesão de Lebron James. E com a lesão de Lebron, quem assumiu o time foi o experiente armador, que liderou a equipe na reta final da partida.

    E esse jogo foi um ponto especial para saber os jogadores que você pode contar em momentos decisivos. Rondo avaliou o momento seguinte ao retorno de Lebron James e a frustrada tentativa de troca por Anthony Davis. Sem citar nomes, o atleta citou que até mesmo os jogadores veteranos se sentiram mal com a situação. O armador relata ainda que ele viveu isso quando jogava pelo rival Boston Celtics.

    Afirmou ainda que realmente é difícil o atleta jogar sem saber o que será do futuro, onde estará jogando. E como sempre aparece nas redes sociais notícias vinculadas a trocas, o psicológico pode realmente afetar o desempenho.

    Os garotos talvez sentiram isso, disse Rondo. Alguns queriam se provar, para não serem trocados, outros achavam que não importava como iriam jogar, pois seriam trocados de qualquer forma.

    Todos os jovens do time têm o Lebron James como ídolo. Usam seus tênis, suas camisas e acham o máximo jogarem junto com seu ídolo. É como se fosse jogando junto com Michael Jordan. E a situação envolvendo a troca foi como se você estivesse jogando com ele e ele não queria você ali.

    Rondo ainda negou que o agente de Lebron James, Rich Paul tenha interferido na equipe, de forma a prejudicar a concentração e foco dos jogadores.

    O armador elogiou a ética de trabalho de Lebron James, porém não o vê como um líder da equipe, aquele que chama o jogador de lado, que fala com o time. Ele vê Lebron como um líder na forma como trabalha, indo aos treinos todo dia.. Ele citou Kevin Garnett como um dos maiores líderes com quem jogou junto.

    Um ponto que o armador criticou foi o contrato de uma temporada. Para ele, é como se a franquia não acreditasse no potencial do atleta, ou está somente preenchendo a vaga em aberto. Em times sem perspectivas, você está apenas jogando pelo contrato.

    Em sua passagem pelo Dallas Mavericks, Rondo citou que o treinador Rick Carlisle viu familiaridades entre o seu estilo de jogo e o de Jason Kidd. E tal fato não era bem visto pelo armador, que era cobrado para ser igual Kidd. Mesmo após liderar o time para vencer mais de 50 jogos, o armador foi para o banco logo na primeira série dos playoffs, quando a equipe foi eliminada para o Houston Rockets.

    Ao sair do Mavericks, jogou pelo Sacramento Kings e depois foi parar no Chicago Bulls. Pela franquia de Illinois, o armador atuou ao lado de Dwane Wade e Jimmy Butler. Após 40 jogos, diante do Indiana Pacers, em uma partida em que seu “plus-minus” estava em -20, o técnico Fred Hoiberg disse que ele não era um titular.

    Rondo citou o encontro no outro dia, quando Hoiberg citou que estava testando o time. Para Rondo isso não fazia sentido. Pois você tinha Wade e Butler e não pensava em vencer agora? Mesmo assim, aceitou ficar no banco e não causou problemas.

    O armador voltou ao time titular, e na série dos playoffs venceu as duas primeiras partidas diante do Boston Celtics. Porém, na segunda partida Rajon Rondo quebrou o polegar e o time perdeu os quatro jogos na sequência, sendo eliminado para o Celtics.

    Atuando pelo New Orleans Pelicans, Rondo teve um bom desempenho. A equipe que contava com Anthony Davis e Jrue Holiday teve ainda a adição de Demarcus Cousins. Mesmo com a lesão de Cousins, que perdeu os playoffs, a equipe varreu o Portland Trail Blazers.

    Rondo acredita que o motivo pelo qual não continuou na equipe era pela idade. Porém, o veterano considera que é sim um jogador importante para equipe e que seu desempenho comprova isso.

    O armador termina dizendo que gostaria de ter uma segunda chance no Los Angeles Lakers, que gostaria de ajudar o “plano Lebron James” se tornar uma realidade, mas que não tem idéia se terá essa chance. Se não tiver a chance, irá procurar um lugar em que irá poder auxiliar os jovens jogadores no aeroporto, e passar um pouco dos seus treze anos de carreira.

    Sobre o “modo Rondo playoff”, ele diz que suas performances são resultados de mais tempo para descansar, mais tempo para se preparar e mais tempo em quadra.

    O experiente jogador tem vontade de ajudar uma superestrela na corrida pelo título. No momento, Rondo quer apenas assistir as finais da NBA e já pensar em um plano para derrotar as principais equipes, mesmo sem saber onde irá atuar ainda.

    Fala aí!