Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    20 de Outubro de 2019 por Renato Campos

    Com a temporada da NBA começando esta semana, é hora do técnico Frank Vogel se concentrar nas escalações que vai precisar armar para enfrentar mais um longo ano. Aqui estão algumas combinações de quatro jogadores com quem o Lakers podem contar durante a temporada 2019-20.

    Muito otimismo pode ser sentido em toda torcida do Lakers. Desde da época de Kobe, Gasol e do próprio Howard, não houve tanto otimismo em cada um de nós torcedores.

    Com Anthony Davis chegando ao seu auge e LeBron James ainda se apresentando no nível de MVP, muito se espera desses dois nesta temporada.

    Enquanto James e Davis serão as peças-chave na corrida pelo campeonato, eles não podem fazer isso sozinhos.

    Com o Lakers investindo a maior parte do seu espaço salarial nesta off-season, acrescentando profundidade à seu elenco, o time tem uma chance real de disputar o troféu Larry O'Brien.

    As escalações que o Lakers utilizará ao longo da temporada podem ser a diferença entre a primeira ou quinta colocação, ou até mesmo a primeira rodada de playoffs e as finais da NBA.

    Você pode ter todo o talento do mundo, mas se você não usar o talento corretamente, tudo pode dar errado no final.

    Com tudo isso dito. Deixando uma peça de sobra a escolha do técnico Frank Vogel, aqui estão várias escalações de quatro homens que o Lakers pode optar para melhor utilizar seu time.

    1. Green, Kuzma, James e Davis

    Se você vai se concentrar em uma escalação que causará problemas intermináveis à equipe adversária, não procure mais do que este quarteto acima.

    Do ponto de vista de talentos, isso é o mais forte possível para o Lakers. É sem dúvida uma escalação que dará pesadelos às defesas adversárias.

    Imagine tentar conter apenas Anthony Davis. Agora imagine se LeBron James também estiver na quadra ao mesmo tempo. Só isso causará enormes dores de cabeça. Quem eles devem dobrar a marcação? Eles não podem dobrar os dois caras simplesmente porque Kyle Kuzma e Danny Green estarão livres para trabalhar durante todo o jogo.

    Essa formação é construída de tal maneira que, a qualquer momento, LeBron James ou Anthony Davis podem dominar.

    Essa formação também é construída para Kyle Kuzma e Danny Green converterem cestas fáceis em cada jogo.

    2. Cook, Green, James e Davis

    Um dos maiores problemas que assolaram o Lakers na última temporada foi o aproveitamento terrível da linha de 3 pontos. Magic Johnson e Rob Pelinka foram criticados por muitos por se concentrarem em armações de jogadas em vez de arremessos.

    Como Johnson não é mais o presidente de operações de basquete, o gerente geral Rob Pelinka conseguiu moldar a equipe como bem entendeu.

    Com as contratações de agentes livres como o armador Quinn Cook e Danny Green, entre outras contratações, o Lakers parece ter que encontrou boas soluções no departamento de tiro de 3 pontos.

    Com Quinn Cook, Danny Green, LeBron James e Anthony Davis, você tem a mistura perfeita de arremesso de 3 pontos, defesa, jogo e rebote.

    Cook, que arremessou excelentes 40,5% da linha de 3 pontos na temporada passada, e Green, que arremessou surpreendentes 45,5 na reta final, serão peças chave para o Lakers surpreender seus adversários quando o garrafão estiver congestionado.

    Cook e Green seriam facilmente um dos melhores backcourts de tiro da NBA. LeBron é um dos melhores jogadores da NBA, então ele encontraria facilmente esses dois caras na quadra todas as noites. AD é um dos melhores homens de garrafão da NBA, se ele conseguir uma marcação dupla, você pode apostar que um desses caras estará aberto e isso significa problemas para o outro time.

    Com Davis detonando nos rebotes e distribuindo tocos, LeBron punindo equipes em transição e jogando em nível de elite e Cook e Green acertando todos os tiros disponíveis, esse quarteto tem o potencial de ser uma linha poderosa para o Lakers este ano.

    3. Caruso, Caldwell-Pope, Kuzma e McGee

    É engraçado pensar dessa maneira, mas muitos dos nomes acima são os jogadores que jogam por mais tempo no Lakers, os membros mais antigos do roxo e dourado. Se disséssemos que KCP e Kyle Kuzma são as peças mais antigas da lista, você acreditaria?

    O Lakers passou por grandes mudanças desde os dias de Kobe e Gasol. Longe são os dias em que o núcleo do Lakers permanece o mesmo e adiciona uma ou duas novas caras à mistura para energizar a equipe para que eles possam correr atrás de um campeonato. Agora parece comum que metade do elenco seja desconsiderado e substituído temporada por temporada.

    No entanto, com Alex Caruso, Kentavious Caldwell-Pope, Kyle Kuzma e JaVale McGee, isso oferece ao Lakers uma combinação que joga junto por pelo menos uma temporada.

    A formação com esses quatro jogadores está em posição ideal para ser a 2ª unidade do Lakers saindo do banco.

    Com McGee, você tem um protetor de aro. Com Kuzma, você tem um espaçamento para a frente que poderá dar a McGee espaço para operar no posto.

    Com Caldwell-Pope e Caruso, você obtém uma dupla que conhece seu papel em uma construção de equipe. Nenhum dos jogadores será solicitado a dominar todas as noites, no entanto, eles sabem quando serem passivos e quando serem agressivos.

    Acredito firmemente que essa formação é capaz de ampliar a liderança do Lakers em qualquer noite devido ao nível de familiaridade que eles têm juntos.

    Com nomes como McGee, Caruso, Kuzma e KCP, todos disputando vagas na escalação desta temporada, você pode apostar que o nível de intensidade e foco que essa lista trará a cada noite será um grande fator na vitória do Lakers no final da temporada.

    Cada uma das escalações acima representa uma ameaça para a equipe adversária. O gerente geral Rob Pelinka deve ser elogiado por adicionar jogadores que se encaixam no sistema Lakers em que desejam disputar.

    Menção honrosa para Avery Bradley que se encaixa em qualquer uma das formações acima, sendo a possível quinta escolha para qualquer uma delas.

    Agora conta pra gente. Qual seria a sua combinação?

    Fala aí!