Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    02 de Março de 2020 por Renato Campos

    Foi aceito que se de fato o Lakers quisesse adicionar outro jogador à sua elenco no restante da temporada, Troy Daniels provavelmente seria o nome a ser sacado. E isso aconteceu neste domingo.

    Daniels não é particularmente jovem (28), como Talen Horton-Tucker, nem tem a experiência de playoff de um cara como Quinn Cook, que esteve nas duas últimas finais da NBA, jogando 34 jogos na pós-temporada.

    Não ajudou muito a reputação de Daniels em ser um bom atirador de três pontos. Ele jogou em apenas 10 jogos desde 18 de janeiro, com aproveitamento de 29,0% de chutes de quadra e 26,1% na linha de 3 pontos.

    Daniels terá a chance em outro lugar. Mas para o Lakers, embora o técnico Frank Vogel insista que nada é iminente em termos de adição ao elenco, o foco agora está no que acontece a seguir. Alguém ocupará o lugar deixado pelo jogador.

    Quem? Estes são os cinco principais candidatos:

    Dion Waiters

    Logo após a saída de Daniels se tornar pública, os rumores diziam que o Lakers estava pronto para um treino com Waiters nesta segunda-feira. Waiters tem talento e os números que teve em sua melhor temporada da NBA - a campanha 2016-17 em Miami, na qual marcou 15,8 pontos por jogo e marcou 39,5% da linha de 3 pontos - seria muito bem-vindo para o atual Lakers.

    Mas com algumas lesões, Waiters está em queda desde então, culminando em três suspensões em Miami este ano, antes de finalmente ser negociado com Memphis e renunciado. O jogador é provavelmente o mais adequado para o Lakers, mas seu padrão de comportamento torna sua contratação um risco.

    J.R. Smith

    Smith esteve em contato com o Lakers por boa parte da temporada. Tendo sido companheiro de equipe de LeBron James em Cleveland por quatro temporadas, tudo o que seria necessário para colocá-lo no time seria o OK de James. Obviamente, isso ainda não aconteceu, embora o Lakers também não tenham descartado a sua contratação.

    Claro, a reputação de Smith por falta de foco é um problema, mas o maior problema é que Smith não aparece em um jogo da NBA desde 19 de novembro de 2018, quando foi retirado da rotação do Cavaliers, quando a equipe procurava ir mais longe.

    James sabe o que Smith é capaz de fazer em grandes jogos. Smith arremessou 40,6% da linha de 3 pontos em 79 jogos dos playoffs com o Cavs.

    Isaiah Thomas

    Sejamos claros: no pouco tempo em que Thomas e James jogaram juntos no Cleveland em 2018, eles se deram tão bem como óleo e água. Seus estilos de jogo não funcionavam juntos e suas personalidades se chocavam. James, é claro, venceu a batalha, com Thomas enviado para o Lakers depois de 15 jogos, na maior parte miseráveis.

    Se os dois caras pudessem deixar essa história de lado (e esse é um grande "se"), Thomas poderia ser um excelente ajuste para um grupo do Lakers que poderia usar o jogador ,saindo do banco, especialmente a partir do perímetro. Thomas é um excelente atirador de 3 pontos que fez 41,3% em 41 jogos com o Wizards este ano. Isso o deixa na 20ª posição na NBA entre jogadores com pelo menos 3,0 tentativas por jogo.

    Jamal Crawford

    Pouco tempo depois da dispensa de Daniels, Crawford enviou um (literalmente) tweet emoji pensativo em seu perfil oficial.

    É provável que o Lakers tenha dispensado Daniels para assinar Crawford, um cara que faz 40 anos em 19 dias e está disponível a temporada toda. O nível de experiência é um ponto atraente para o Lakers, mas a produção não é. Crawford não joga há 11 meses e suas duas últimas temporadas em Minnesota e Phoenix não foram bem - ele teve uma média de 10,3 pontos com o Wolves e 7,9 com o Suns, mal conseguindo 33% em suas tentativas de 3 pontos nos dois times.

    Crawford jogou por oito equipes em 19 anos. Seria um choque se o Lakers fosse o número 9.

    Tyler Johnson

    Antes desta temporada, seria razoável para um candidato procurar um jogador como Johnson para sair do banco. Ele é um combo-guard defensivo, que foi por cinco temporadas, um atirador confiável de três pontos em Miami.

    Mas Johnson foi negociado com Phoenix no ano passado e seus números caíram. Ele jogou apenas 16,6 minutos por jogo nesta temporada, com média de 5,7 pontos, 38,0% de arremessos e 28,9% da linha de 3 pontos. Se o Lakers tiver tempo de ver se Johnson poderia ser ressuscitado, ele seria uma aposta de baixo custo e alta recompensa.

    Fala aí!