Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Ricardo Romanelli

    01 de Maio de 2020 por Ricardo Romanelli

    Em 1980, Magic Johnson já tinha mostrado a que veio. Com 18 pontos, 7,7 rebotes e 7,3 assistências de média, o atleta de apenas 20 anos foi eleito All-Star da NBA já em sua primeira temporada.

    Com a adição dele, Kareem Abdul-Jabbar, então melhor jogador da liga, finalmente tinha um time forte para brigar por títulos em Los Angeles, e assim o Lakers chegou a sua primeira Final da NBA desde 1972.

    Contra o Philadelphia 76ers de Julius Erving, Kareem dominou a série, registrando 33,4 pontos, 13,6 rebotes e 4,8 tocos de média em 5 jogos onde o Lakers abriu 3 x 2 no disputado embate. No jogo 5, entretanto, o pivô sofreu uma lesão no tornozelo que lhe deixou fora do jogo 6 e possivelmente do jogo 7, caso houvesse. Dúvidas passaram a rondar o Lakers, que tinha um time menos experiente que o Sixers, com Magic ainda não tendo se anunciado ao grande palco do basquete.

    O jogo 6 era na Philadelphia, e existiam algumas dúvidas sobre quem o técnico Paul Westhead escalaria para substituir Kareem no quinteto titular. Magic decidiu que era uma oportunidade de se firmar como lenda nascente do basquete, e tomou uma atitude ousada. Kareem costumava sentar na primeira fileira do avião, para que suas longas pernas pudessem ficar mais confortáveis. Na viagem para a partida, Magic sentou no lugar costumeiro de Kareem, e anunciou a todos: "Não tenham medo, EJ está aqui". EJ eram as iniciais para "Earvin Johnson", que muito em breve se tornaria simplesmente "Magic".

    Westhead sentiu confiança em seu jovem prodígio e escalou Magic como pivô, ao lado de Jamaal Wilkes e Jim Chones como alas e Norm Nixon e Michael Cooper no backcourt. Magic perdeu o tapinha inicial para Caldwell Jones, mas daí em diante mostrou porque seria um dos jogadores mais versáteis da história da NBA. Ele literalmente fez de tudo em quadra e jogou em todas as posições durante a partida, anotando 42 pontos, 15 rebotes e 7 assistências em uma das maiores performances da história das Finais da NBA.

    O Lakers fechou a partida e a série com uma sequência de 20 x 6 nos minutos finais, onde Magic anotou 11 dos 20 pontos do time, dando números definitivos ao placar de 123 x 107. Na entrevista após a partida, o agora MVP das Finais fez questão de lembrar de seu companheiro lesionado:

    "Grande companheiro, fiz isso por você. Sei que seu tornozelo dói, mas quero que você levante e dance para comemorar." - Magic Johnson.

    Fala aí!