Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Guilherme Borges

    27 de Julho de 2020 por Guilherme Borges

    O resultado desse jogo não tem nenhuma importância. O desenvolver da partida, o "lance a lance" e as "táticas" usadas por cada time, muito menos. O confronto de hoje, assim como os outros durante esse período de amistosos, teve duas utilidades: testar e analisar jogadores do Lakers que normalmente não têm muitos minutos em quadra e; tentar entender as rotações que Frank Vogel está pensando em usar.

    Do ponto de vista de analisar quem geralmente não têm muitos minutos, o jogo foi bem interessante. Dos jogadores que sempre foram do "final do banco", vimos muito de Quinn Cook, Kostas Antetokounmpo, Talen Horton-Tucker e Devontae Cacok, esse último mais no final da partida. De todos esses, talvez Kostas tenha sido o mais acionado e o que mais apareceu no jogo. O grego teve números modestos (9 pontos, 7 rebotes, um toco e uma roubada de bola em quase 23 minutos de partida), contudo, ele foi para a linha de lance livre oito vezes - sendo o que mais cobrou faltas na partida, junto com Alex Caruso - dos quais converteu apenas 3. Cook também pode ser considerado um destaque pois ele dividiu as funções de armação com Dion Waiters na segunda unidade.

    Dos jogadores novos (Waiters e JR Smith), JR com certeza merece mais destaque. Enquanto Waiters segurou bastante a bola e tentou forçar jogadas para "mostrar serviço" (o que em algumas posses conseguiu mostrar); JR se mostrou uma peça muito mais útil ao time. Com um volume muito menor de arremessos (apenas 9), mas com um aproveitamento muito maior (66,7% dos arremessos em geral e 85,7% - acertando 6 de 7 - nos arremessos de 3), o ala foi muito bem na partida. É claro, isso não faz dele um craque. Dificilmente ele reproduziria números tão bons em uma partida de playoffs. De qualquer jeito, mesmo nessa pequena amostra, ficou bem evidente que talvez ele seja uma opção melhor que Waiters pelo simples fato de conseguir jogar sem a bola. Com duas estrelas no calibre de LeBron James e Anthony Davis em seu elenco, não precisar da bola para desenvolver o jogo é essencial (alô, Kyle Kuzma).

    Outro jogador, queridinho da torcida e que todos sempre sonharam em ver atuando mais minutos, que entrou bem, foi Alex Caruso. O armador jogou 24:28 minutos e teve atuação sólida, com 17 pontos (3/4 da linha de três), 5 rebotes, 6 assistências e 3 roubadas de bola, sendo o maior +/- da equipe (+16). Contudo, o mais interessante nem foi tanto sua atuação, mas sim, a rotação que Vogel escolheu.

    Assim, do ponto de vista da rotação, para substituir os titulares ausentes (AD e LeBron), Vogel escolheu usar Caruso e Morris. Curiosamente ou não, ambos são os mais especulados para as vagas de reservas imediatos desde que Avery Bradley anunciou que não se juntaria ao elenco e que Rajon Rondo se machucou. Caruso, inclusive, foi utilizado como armador principal da equipe, o que pode indicar que ele realmente irá aliviar um pouco da carga da armação de LeBron, quando necessário. Morris jogou poucos minutos, talvez por ter treinado pouco com a equipe e ainda estar fora de ritmo.

    No time reserva, Cook, Waiters e JR entraram praticamente juntos todas as vezes, mas a permanência um pouco maior de Waiters entre os titulares em alguns momentos, nos indica que, pelo menos por enquanto, talvez Vogel esteja pensando em utilizá-lo mais do que JR. Contudo, o teste de hoje não é suficiente para confirmar nada. Nos próximos jogos vamos ver diferentes rotações e elas devem ser mais conclusivas e indicativas já que Vogel provavelmente já estará pensando nos possíveis confrontos de Playoffs.

    Ah, apenas para falar que eu não falei: o Lakers venceu o jogo por 123 x 116. O próximo confronto é contra o Clippers, em 30 de julho, já valendo pela temporada regular.

    lak

    wiz






    Siga o Lakers Brasil no Spotify e fique por dentro de nossos últimos podcasts, com análises e comentários sobre as últimas notícias envolvendo o Lakers!



    Fala aí!