Espalhe!
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    17 de Junho de 2021 por Renato Campos

    3_movimentos_que_a_diretoria_do_lakers_precisa_fazer_para_deixar_lebron_james_e_a_torcida_feliz

    Com mais dois anos de contrato de LeBron James, a diretoria do Lakers sabe que a janela de título do time fica cada vez menor em relação ao seu principal jogador. Rob Pelinka sabe que a única coisa que precisa fazer, é deixar LeBron feliz e cercá-lo de ajuda para a franquia tentar buscar mais um campeonato.

    Se ainda é incerto quais movimentos a diretoria pode tomar, o que pode ser decidido antes mesmo da offseason começar oficialmente, é a estratégia interna do time.

    E pra deixar LeBron feliz, e grande parte da torcida, vamos ver três movimentos que a diretoria pode fazer nesta offseason para buscar um título da NBA nos próximos dois anos.

    Trocar Kyle Kuzma

    Talvez a sugestão de trocar Kyle Kuzma nesta offseason, seja quase uma unanimidade entre a torcida e insiders. Apesar de Kumza ter lampejos de um bom jogador, sua inconsistência é seu maior problema. Kuzma tem dificuldades em convencer o mais otimista torcedor.

    Kuzma teve uma média de 12.9 pontos na temporada regular, mesmo jogando por uma boa quantidade de jogos sem LeBron James e Anthony Davis. Nos playoffs, Kuzma foi ainda pior, com uma média de apenas 6.3 pontos. Este foi o momento em que o Lakers mais precisava dele, devido à lesão de Davis. No entanto, lá estava ele, sem intensificar o lado ofensivo.

    Com um contrato bastante negociável, talvez o plano de Rob Pelinka ao dar a extensão ao jogador, era exatamente este. Kuzma ainda desperta interesse de alguns times, mas o seu mercado pode baixar ainda mais se ele continuar em Los Angeles.

    Buscar uma terceira estrela ou um bom grupo de role players

    Dennis Schroder chegou ao Lakers com a esperança de que ele poderia ser uma terceira estrela para o time. Mas mesmo antes da temporada começar, o pedido de um dos melhores reservas da liga por uma posição de titular, já mostrava que o entrosamento poderia ser prejudicado. Não me entenda mal, Schroder é um bom jogador, mas provou isso sempre saindo do banco. O alemão poderia complementar com maestria a armação da segunda unidade, quando LeBron estivesse descansando e porque não, conquistar o título de sexto-homem do ano.

    Schroder quer ser muito bem pago e talvez o Lakers não tenha os mesmos planos do jogador. Depois de uma série de playoffs pífia, o jogador pode ter deixado em dúvida a diretoria do Lakers sobre sua permanência em Los Angeles.

    A estratégia de Pelinka pode ser não correr atrás de Schroder e buscar outros bons jogadores. Apesar de um sonho distante, se Lillard não quiser continuar em Portland, talvez seria um dos melhores nomes para o Lakers. Mas sonhando com pés no chão, um armador do calibre de Mike Conley, caso esteja saudável, seria um nome bem interessante.

    Se o Lakers quiser ser ousado usando Schroder, vai precisar articular uma negociação por sign-and-trade com algum outro time, ou quem sabe incluir mais algum outro.

    Manter Caruso e THT

    Se a intenção do Lakers for buscar uma terceira estrela, a diretoria inevitavelmente terá que desistir de Alex Caruso ou Talen Horton-Tucker. Os dois armadores tiveram bons desempenhos nas últimas temporadas. Muito tem se falado do alto QI de Caruso e do provável interesse de outros times nesta offseason. THT também mostrou sua habilidade como um pontuador de segunda unidade e ainda é um jogador muito jovem.

    No entanto, manter esses dois jogadores agora pode ser a jogada certa do time neste momento. Rob Pelinka teria recusado incluir Horton-Tucker na negociação por Kyle Lowry no último dia do prazo de trocas da NBA, e muito provavelmente vai manter seu objetivo agora nesta offseason.

    Se Pelinka conseguiu manter Tucker em Los Angeles pelo menos até que LeBron termine seu contrato, pode ser uma jogada interessante para monitorar a evolução do jogador. Caso o Lakers faça com o jogador um novo contrato, os dois primeiros anos daria ao Lakers uma flexibilidade bastante interessante. Depois destes dois anos, THT já teria mostrado o suficiente ao Lakers. No seu terceiro ano, ele poderia ser elegível a um contrato de 82 milhões, exatamente quando o contrato de LeBron termina. E será neste momento, que o Lakers ou terá um grande jovem jogador para começar uma era ao lado de Anthony Davis, ou o time entra no modo de rebuild.

    A offseason da NBA começa no dia 2 de agosto, mas Rob Pelinka já deve estar trabalhando intensamente para que o Lakers tenha um time de calibre de campeão para a próxima temporada.

    LeBron James detona NBA após lesão de Kawhi Leonard

    Depois da confirmação da lesão no joelho de Kawhi Leonard, que pode deixar o jogador do Clippers de fora do resto dos playoffs, LeBron James foi ao Twitter mostrar sua indignação com o apertado calendário da atual temporada da NBA.

    LeBron lembrou que foi contra o início da temporada com uma curta offseason e falou sobre as consequências que ela poderia fazer com os seus jogadores.

    "Ninguém quis me ouvir sobre o início da temporada. Eu sabia exatamente o que iria acontecer. Eu só queria proteger o bem estar dos jogadores, que no final das contas, são o PRODUTO E BENEFÍCIO do NOSSO JOGO!

    Essas lesões não são apenas “PARTE DO JOGO”. É a falta de PURO DESCANSO antes de retornarmos. Oito, possivelmente nove ALL-STARS perderam os playoffs (o maior número da história da liga). Este é o melhor momento da temporada e os torcedores não estão vendo em quadra seus jogadores favoritos. Isso é insano.

    Se tem alguém que sabe sobre o seu corpo e como ele funciona, este sou eu! Falo pela saúde de todos os nossos jogadores e odeio ver tantas lesões nesta época do ano. Desculpe torcedores, gostaria que vocês estivessem vendo todos os seus jogadores favoritos em quadra agora."

    Em uma temporada com uma série de lesões e com jogadores afastados pelo protocolo de segurança contra o COVID-19, o time campeão será aquele que conseguir ficar o mais saudável possível até o fim.

    Fala aí!