Espalhe!
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    09 de Maio de 2022 postado por Renato Campos

    nba_lakers_pode_tentar_tirar_ala_do_warriors

    Embora muito tenha se falado sobre a busca do Lakers por seu novo treinador, a diretoria também se prepara para conseguir montar seu time durante o período de agência livre.

    Com pouco espaço e com poucos ativos de troca, caso Russell Westbrook não seja negociado, Rob Pelinka pouco vai poder fazer além de contratos mínimos para os que decidirem vir para Los Angeles.

    A posição de ala tem sido um problema. No ano passado, na ausência de LeBron, o Lakers não teve um especialista em quadra e precisou se adequar como podia. O Lakers precisa de um jogador que consiga espaçar a quadra e que consiga ao sair do banco, impulsionar o ataque do time de alguma forma.

    É aí que entra o nome de Otto Porter Jr.

    O jogador está fazendo uma boa temporada com o Warriors e ainda disputa os playoffs contra o Grizzlies, buscando continuar a briga no Oeste. O ala está atualmente ganhando apenas US$ 2,3 milhões e se tornará agente-livre irrestrito assim que a offseason começar oficialmente.

    Embora o Lakers não tenha muito espaço para negociar, a diretoria pode se dar ao luxo de estender uma oferta mínima para tentar convencer o jogador a levar seus talentos para L.A.

    O que Porter Jr. traz para a mesa?

    Qualquer nova adição na ala do Lakers precisa trazer no mínimo arremessos de três pontos. Porter, além de aproveitar 37% dos seus arremessos de três essa temporada, pode colaborar bem na defesa.

    Em 65 jogos da temporada regular pelo Warriors, o jogador médias de 8,2 pontos, 1,5 assistências e 5,7 rebotes por jogo. Além disso, ele saiu do banco por 48 jogos nesta temporada e provou estar aceitando um papel na turma da segunda unidade.

    Porter é uma opção viável tanto para a ala aberta, quanto a de força e também pode colaborar na posição central quando o time estiver jogando small-ball. De fato, ao longo desta temporada, ele passou 36% de seus minutos como um pivô.

    Com Porter, o Lakers pode experimentar jogar small-ball sem precisar sacrificar LeBron James embaixo do aro, independente de quão bom ele seja nesse papel.

    É claro que o Lakers vai ter uma concorrência pesada por Porter se tiver interesse em adquiri-lo, inclusive do próprio Warriors que tem grandes chances de mantê-lo em São Francisco. Porém, vale lembrar que o Lakers pode usar sua MLE para convencer o jogador, da mesma forma que fez com Malik Monk na offseason passada.

    Fala aí!