Espalhe!
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    10 de Janeiro de 2024 postado por Renato Campos

    nba_entenda_o_chororo_do_raptors_apos_derrota_para_o_lakers

    As coletivas de imprensa nos jogos do Lakers têm sido um verdadeiro espetáculo nas últimas semanas. Na sexta-feira passada, Darvin Ham deu uma resposta inusitada aos reports sobre um desentendimento com o vestiário, na qual mencionou o Programa de Proteção a Testemunhas antes do jogo da equipe contra o Grizzlies.

    E ainda assim, de alguma forma, isso nem foi a coletiva de imprensa mais esperada para o jogo deles nesta semana, muito menos da temporada.

    Após a derrota do Raptors por 132-131 para o Lakers nesta terça-feira, o treinador do time de Toronto, Darko Rajakovic, explodiu de frustração em relação à discrepância nos lances livres. O Lakers foi a linha 36 vezes contra apenas 13 do Raptors, incluindo uma diferença de 23-2 no quarto período.

    Verdadeiramente, foi um desabafo histórico. Defender sua equipe é esperado e ele certamente conquistou o apoio total da equipe após essa coletiva, mesmo que sua carteira esteja prestes a ficar um pouco mais leve com uma multa inevitável.


    Porque o técnico do Raptors não tem razão

    Mas, será que ele realmente tem argumento?

    O contexto é importante aqui. Existem várias maneiras de analisar a situação e fornecer contexto, em vez de compartilhar capturas de tela sem nenhuma explicação.

    Em primeiro lugar, a discrepância nos lances livres não é tão extrema no quarto período, já que o Raptors cometeu faltas intencionais no final para prolongar o jogo, resultando em oito dos lances livres no quarto período... todos convertidos por Anthony Davis.

    Dois lances livres adicionais vieram de uma falta flagrante do Raptors, quando Immanuel Quickley acertou Cam Reddish com o cotovelo no queixo. Outros dois lances livres foram conquistados em um rebote ofensivo de Max Christie, faltando pouco mais de um minuto do fim. Isso totaliza 14 dos 23 lances livres no quarto período.

    Há também o contexto de que o Raptors não jogou com um pivô durante praticamente todo o jogo. Com Jakob Poeltl fora, o Raptors usou Pascal Siakam como pivô contra Anthony Davis.

    Siakam cometeu uma falta em AD faltando 34 segundos para o final, com o Lakers liderando por 122-121. A estratégia do Lakers desde o início era passar a bola para AD, já que o Raptors não tinha proteção alguma no garrafão, e isso deu resultado no final.

    Em última análise, o Raptors jogou com Jontay Porter, um pivô de 2,08 metros, por apenas 10 minutos naquela noite. Chris Boucher e Thaddeus Young têm 2,06 e 2,03 metros, respectivamente, e passaram um tempo tentando proteger o garrafão, mas nenhum deles jogou mais de 29 minutos e nenhum deles terminou o jogo.

    Lakers é um time que ataca muito o garrafão

    Pra fechar a análise, o Raptors enfrentou uma equipe do Lakers que ataca muito o garrafão - o time ocupa a segunda posição no Cleaning The Glass na frequência de arremessos próximos à cesta - e não tinha o pivô titular, o que já era uma situação ruim. O time de Toronto então decidiu não jogar com nenhum outro pivô na maior parte do jogo.

    E por conta disso, o time concedeu muitos lances livres. 

    Ou, você pode resumir como LeBron James fez após o jogo, quando perguntado sobre a discrepância nos lances livres:

    "Eu sinto que eles cometeram faltas e nós não."

    Segue o jogo.

    Fala aí!