Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Lucas Fuson

    11 de Março de 2019 por Lucas Fuson

    Esse final de temporada não está fácil para nós torcedores do Lakers. Quando recebemos a notícia de que LeBron James estaria vestindo o manto roxo e dourado nossa expectativa era de uma temporada bastante diferente do que a que estamos vendo. Ao menos os playoffs pareciam ser garantidos, no entanto, ainda que tenhamos chances matemáticas para alcançar este feito, é difícil que encontremos algum torcedor suficientemente otimista para acreditar nisso. O próprio Lakers já jogou a toalha, colocando LeBron em restrição de minutos e dando mais tempo para os garotos da G-League. Mas nem está tudo perdido.

    Logo após os rumores de uma troca que envolviam um caminhão de jovens para trazer Anthony Davis para Califórnia, parece que um desses garotos resolveu despertar e mostrar que ele não é simplesmente uma moeda de troca. Em sua terceira temporada, a segunda escolha na loteria de 2016, Brandon Ingram parece finalmente estar no caminho de ser o jogador que esperávamos.

    Sua evolução está mais lenta do que gostaríamos e imaginamos, mas desde a pausa para o fim de semana do All-Star, ele tem se mostrado como uma segunda estrela que o Lakers precisava por toda temporada para jogar auxiliar LeBron. Nos nove jogos que sucederam a pausa, Ingram anotou uma média de 24 pontos, com um aproveitamento de quadra de 53%, além de 46% da linha de três. Registra ainda  6 rebotes e 3 assistências por jogo. Contra o Milwaukee Bucks, no dia 02/03, seus números foram de 31 pontos e 8 rebotes, tendo um aproveitamento de 13 acertos em 21 arremessos.

    O diferencial está em seu tamanho: 2,06m de altura e 2,21m de envergadura, com habilidades de armador. Desde que chegou à NBA ele já mostrou que uma de suas armas é a explosão para atacar o aro. Nesta temporada ele tem desenvolvido seu jump shot,fazendo arremessos bem acima de sua cabeça, que graças a sua envergadura, se tornam difícil de serem parados pelos oponentes. Outro ponto positivo é a sua habilidade com a bola nas mãos. Por vezes ele passa por dois defensores no caminho até a cesta. Além disso, com braços tão longos, é uma peça valiosa na defesa, capaz de bloquear arremessos e roubar bolas tranquilamente, tendo inclusive evoluído muito nesta temporada do lado defensivo da quadra.

    Tais características o fizeram ser comparado a Kevin Durant desde o início da carreira. Com certeza ele tem potencial para jogar como um ala habilidoso e pontuador, caso de LeBron, Paul George e o próprio Durant. Vamos lembrar que ele chegou ao Lakers com 19 anos, e que neste momento tem apenas 21, com um longo caminho pela frente.

    O que pode o impedir de ser dominante é sua falta de força física. Fica clara a diferença em relação aos seus defensores, que por vezes o deslocam com muita tranquilidade. Mas isso é uma questão de continuar trabalhando fora de quadra e desenvolver sua habilidade para ser rápido o suficiente e escapar desses encontros.

     Enfim, já que não temos Davis e, provavelmente, nem uma vaga nos playoffs, ainda nos resta um pouco de alegria e esperança em ver o desenvolvimento de Brandon Ingram. Mesmo que não seja nosso futuro franchise player ao menos teremos uma moeda valiosa para trazer alguém para lutar por um título junto ao LeBron. Por tudo isso, com a recente notícia de que ele precisará passar por tratamento de coágulos sanguíneos no ombro, mais do que nunca devemos torcer por sua plena recuperação o quanto antes. Melhoras, Brandon! O Lakers precisa de você.


    Fala aí!