Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Felipe Valente Bettega

    24 de Agosto de 2019 por Felipe Valente Bettega

    Dwight Howard está finalizando o seu contrato com o Memphis Grizzlies (por meio de um buyout - onde time e jogador entram em acordo quanto à quantia de dinheiro necessária para terminar o contrato) e, uma vez concluído, ele planeja assinar com o Los Angeles Lakers. A notícia representa um dos retornos mais surpreendentes da história da NBA. Em sua única temporada Angelina em 2012-2013 Howard chegou com enormes expectativas mas não conseguiu lidar com a pressão e os holofotes de Los Angeles. Suas médias de pontos e rebotes diminuíram consideravelmente e o Lakers foi varrido no primeiro round dos Playoffs pelo San Antonio Spurs. Para fechar com chave de ouro, Howard recusou a oferta do Lakers para renovar o contrato, assinando com o Houston Rockets e tornando-se extremamente impopular entre os torcedores do Roxo e Dourado.

    De acordo com Adrian Wojnarowski da ESPN, tanto Joakim Noah, quanto Howard impressionaram nos treinos e reuniões de quinta-feira. E era esperado que Mo Speights ainda fosse avaliado na sexta-feira, mas o Lakers optou por apostar no retorno de Howard. Ainda de acordo com o repórter da ESPN, o contrato oferecido não será garantido. Isso significa que o time terá 14 jogadores sob contrato, mantendo uma vaga aberta até o começo da temporada. Caso Andre Iguodala torne-se disponível, o Lakers poderá oferecer essa vaga a ele, após cortar Howard sem repercussões financeiras. Mas caso o pivô mostre-se comprometido durante o training camp e o começo da temporada, ele garantirá seu espaço por merecimento.

    A torcida Angelina tem uma impressão muito ruim de Howard por causa do modo como ele saiu. Porém, mesmo jogando por quatro esquipes diferentes nas últimas quatro temporadas, Howard jogou bem quando saudável. A temporada de 2018-2019 com o Washington Wizards foi fraca: 12.8 pontos, 9.2 rebotes e 0.4 toco. Mas foi uma temporada marcada por lesões em que o pivô ficou em quadra uma média de 25.4 minutos por apenas 9 jogos. Mas considere a temporada de 2017-2018 com o Charlotte Hornets: 16.6 pontos, 12.5 rebotes e 1.6 toco. Ou então a temporada de 2016-2017 com o Atlanta Hawks: 13.5 pontos, 12.7 rebotes e 1.2 toco. E ainda a temporada de 2015-2016 com o Houston Rockets: 13.7 pontos, 11.8 rebotes e 1.6 toco. Temos três temporadas com três equipes diferentes em que Howard estava mais saudável (jogando entre 71 e 81 jogos, com médias de 30 a 32 minutos) e muito mais produtivo. Wojnarowski ainda relatou que Howard perdeu cerca de 11 quilos e que as suas costas lesionadas estão saudáveis.

    Na sua primeira tentativa Howard falhou em ser a estrela que o Lakers precisava. Mas ele terá uma segunda chance de brilhar em um papel diferente. Na temporada passada, JaVale McGee jogou 22.3 minutos por jogo e DeMarcus Cousins jogou 25.7 pelo Golden State Warriors. Era sabido que nenhum deles daria conta de muito mais minutos do que isso. O plano Roxo e Dourado era ter 48 minutos desse combo de pivôs, mas a lesão de Cousins fez o plano mudar. Fez o Lakers precisar de um novo pivô. Por que não simplesmente colocar Anthony Davis para jogar de pivô?Porque ele deixou claro que não se sente confortável jogando nessa posição. E quando ele foi trazido via troca, uma promessa foi feita de que essa vontade seria respeitada. Davis encerrará o seu contrato com o Lakers ao final da temporada. E eu não acredito que uma promessa quebrada seja um incentivo para uma renovação de contrato.

    É aí que Howard entra! O pivô chega ao Lakers para se redimir. Para reconquistar os fãs e mostrar que amadureceu. Ele nunca se deu bem com o seu companheiro de equipe, Kobe Bryant, chegando a reclamar da quantidade de vezes que o astro arremessava. Kobe por sua vez, durante um jogo o chamou de soft (querendo dizer que o pivô não era "durão" o bastante). No dia 18 de Julho de 2019, Howard cedeu uma entrevista para Kristine Leahy do canal Fox Sports 1 e o assunto da briga com Kobe veio à tona:

    “Eu acredito que na época eu era ignorante em relação ao nível que ele estava. Então eu aprecio você, Kobe. Obrigado por dizer que eu era mole. Eu não havia entendido o que significava até agora.”

    Para o bem ou para o mal, essa temporada de 2019-2020 será super emocionante! Peguem as suas camisas com o número 12, de onde elas estiverem guardadas e preparem-se!

    Fala aí!