Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    21 de Junho de 2017 por Renato Campos

    Há dois anos, D'Angelo Russell foi escolhido como sendo o futuro da franquia. Ainda assim, muitos olhavam desconfiados para o jogador e outros mais expansivos diziam que a escolha certa era Jahlil Okafor, hoje no Sixers.

    No seu tempo de faculdade, da forma como carregava a bola e passava para seus companheiros, fez o ex-técnico Byron Scott cravar: "O último cara que vi fazendo isto, foi Earvin."

    Por ironia do destino, dois anos depois, Earvin Magic Johnson incluiu D'Angelo Russell em uma troca com o Brooklyn Nets que traz para Los Angeles o pivô Brook Lopez. Do ponto de vista de Magic Johnson, talvez D'Angelo Russell não se encaixasse tanto assim na posição de armador que ele tanto conhece. E dizem por aí, que o Nets foi um dos poucos times que aceitariam ter o armador no elenco.

    A primeiro momento, os fãs de Russell sairam a caça as bruxas falando o que vinha na cabeça contra a nova diretoria formada por Magic e o GM Rob Pelinka. Mas analisando friamente, mesmo que D'Angelo se tornasse o melhor jogador da NBA em algum momento, a negociação ainda assim faz bastante sentido.

    Esta troca não foi para ter Brook Lopez ou mesmo mandar embora D'Angelo Russell. A diretoria precisava resolver a questão do contrato absurdo que Timofey Mozgov tinha com o time. Sendo assim, o objetivo de Magic e Pelinka foi alcançado e agora mais do que nunca, Lonzo Ball será a escolha perfeita para surprir a necessidade de um armador. Ao mesmo tempo, já com Ball no time, o Lakers pode fazer de tudo para ir atrás de Paul George ainda nesta offseason.

    Resumindo, toda essa negociação feita pelo Lakers nesta terça feira, mostra que a nova diretoria está valorizando seu teto salarial para ter flexibilidade de ir atrás de jogadores que tenham potencial maior do que D'Angelo Russell.

    Por outro lado, apesar de uma curta carreira com o time e a tal confusão com Nick Young, Russell teve médias bastante razoáveis com 14.3 pontos e quatro assistências de média em um time sem muita organização tática até o momento. Números estes que podem ser comparados aos de Kyrie Irving, Chris Paul e até mesmo Steph Curry no início de suas carreiras.

    Torcemos muito para que Russell brilhe em Brooklyn. Sob comando do técnico Kenny Atkinson e seu estilo de jogo, a ida para o Nets pode ter sido a melhor coisa que podia ter acontecido neste momento para o jogador.

    Para se ter um futuro melhor, o Lakers vai precisar fazer alguns sacrifícios. D'Angelo Russell, pode ter sido apenas o primeiro deles.

    Valeu, D'Lo!

    Fala aí!